Prevenção e Proteção Contra Incêndios

Sábado, 05 de Maio de 2018.

Você já parou para pensar no prejuízo causado por um incêndio? Os incêndios levam a prejuízos materiais e pessoais. A maior perda sempre será a vida, afinal, não podemos mensurar seu valor. A maioria das pessoas não sabe, mas o grande número de vítimas, principalmente fatais, de ocorrências de incêndio é resultado do pânico das pessoas em fuga desordenada. O número de vítimas do pânico suplanta o de pessoas feridas e/ou mortas pela ação direta do calor e do fogo.
Lamentavelmente, a cada dia tornam-se notícia incêndios que ocorrem em todo o cenário mundial ocasionando perdas materiais, ceifando vidas e em diversos casos ocasionando ambos. Para compreender melhor o que leva a ocorrência de incêndios precisamos entender o seu funcionamento.
O fogo também conhecido como combustão e se utilizado de forma adequada pode servir de grande ajuda para o homem. Segundo pesquisas há milhares de anos o homem descobriu o fogo e com o passar dos anos se utilizou do mesmo para fabricar máquinas e equipamentos essenciais para o avanço tecnológico e consequentemente a industrialização.
Nos dias atuais a maior parte dos produtos industrializados depende do fogo. Sendo assim o fogo é considerado por muitos como a maior conquista do ser humano desde a pré-história. Foi o químico francês Antonie-Laurente Lavoisier também conhecido como o pai da química moderna e autor da célebre frase “Na natureza, nada se perde e nada se cria, tudo se transforma”, que descobriu os fundamentos científicos do fogo. O problema ocorre quando essa combustão passa a ficar fora de controle se tornando então um incêndio podendo causar danos físicos e/ou materiais.
O Brasil foi cenário de diversos incêndios de grandes proporções como o incêndio no GRAN CIRCO NORTE-AMERICANO, edifício Andraus, edifício Joelma, Boate Kiss e recentemente o incêndio que acabou com o desabamento de um prédio em chamas na cidade de São Paulo.
Os principais causadores de incêndios são: Sobrecarga elétrica, fiações expostas, brincadeiras de crianças com álcool, isqueiros, fósforos e papéis, hábitos inadequados na cozinha, panelas aquecidas no fogo, vazamento de gás, uso errado de maçaricos, lâmpadas, luminárias e outros objetos que emitam calor, máquinas elétricas, eletrônicas e digitais funcionando indevidamente, podendo aquecer facilmente, lupas e espelhos que refletem o calor da luz, focando-a em um ponto que irá se aquecer, fogos de artifício tal como ocorrem com os balões os fogos de artifício são causadores de incêndios além de ocasionar inúmeros acidentes, bingas de cigarros, causas criminosas e desconhecidas.
O melhor caminho ainda é a prevenção que parte do princípio de prever, ou seja, agir antes do acontecido e a proteção que consiste em medidas que tem como objetivo minimizar as consequências do incêndio “sinistro.” Agir preventivamente faz toda a diferença, principalmente se o assunto for incêndio, pois não sabemos se o mesmo será controlável ou não, e claro saber agir de forma correta. Prevenir é melhor que remediar e com isso gera uma economia financeira, traz qualidade de vida, aumenta a produtividade, garante a segurança e preserva o bem mais valioso que é a vida. Não brinque com fogo, ele não sabe brincar.

Jheancarlos Garcia diretor, consultor e palestrante pela Sankyo Consultoria e Treinamentos de Sapucaia e especialista na área de Segurança do Trabalho

Por Jheancarlos Garcia

B01 - 728x90