Uma pequena notícia de jornal
Por Daniel Vizeu - 22/11/2011, 00h00
“Poderia ter passado despercebido”. A frase, emblemática, é do prefeito de Três Rios, Vinícius Farah, sobre a maior conquista da história de Três Rios: a fábrica da Nestlé, inaugurada na última sexta-feira. Mas destino é destino. E o que conto agora é um verdadeiro caso de amizade, perseverança, empenho e, é claro, um pouco de sorte.
 
O prefeito estava em seu gabinete, em mais um dia comum de trabalho. Preocupações, projetos, sonhos...muita coisa passava por sua cabeça. E naquela manhã, naquele dia, nem ele poderia imaginar que um simples recorte de jornal poderia mudar os rumos da história de sua cidade. Na verdade ninguém poderia imaginar.
 
Quis o destino, implacável, que a notícia viesse pelas mãos de um grande amigo, um irmão, companheiro de muitos anos. Ao entrar no gabinete do prefeito, com um pequeno pedaço de papel nas mãos, Lélio Langoni não sabia que dava uma importante contribuição para o futuro de Três Rios. Foi ele quem levou a notícia de que a Nestlé estava buscando um local no Brasil para fazer um novo investimento. Aliás, um altíssimo investimento. “Poderia ter sido qualquer pessoa, eu poderia ter lido, ou então nem ficaria sabendo. Mas, veja só, o destino quis que fosse o Lélio, meu amigo, companheiro desde meu início da vida pública”, confessou Vinícius.
 
Ele pode não ter surpreendido o Lélio, que o conhece bem. Mas surpreenderia a mim e à maioria dos cidadãos comuns de qualquer cidade brasileira. Ao tomar ciência do fato, Vinícius demonstrou porque é hoje um dos homens públicos mais admirados e destacados deste nosso país. “A Nestlé vai ser nossa, vai se instalar em Três Rios”, afirmou o prefeito, com a confiança e a fé que transformam, de uma hora para outra, simples mortais em grandes e decisivos homens.
 
Poderia ser um devaneio? Sim. Sonho? Com toda certeza. Mas o que leva algo abstrato a transformar-se em realidade? Competência, trabalho, dedicação. PERSEVERANÇA!
 
“A sorte é produto do pensamento, do sonho”, disse uma vez o músico Rodrigo Amarante, da banda Los Hermanos. O prefeito pode não conhecer a citação. Mas fica claro que a leva ao pé da letra.
 
Foram meses tentando entrar em contato com a Nestlé em São Paulo. E apesar das dificuldades, ele nunca desistiu. O próprio Ivan Zurita, presidente da multinacional no Brasil, reconheceu o empenho do prefeito trirriense. “O Vinícius conseguiu porque foi o mais agressivo”. Não interprete essa agressividade como algo mal. Neste caso, ela se baseou na insistência, na consistência do projeto, na parceria para retirar do caminho obstáculos que pudessem atrapalhar o sonho. E hoje, este sonho, que começou num simples pedaço de papel levado por um amigo de anos, transformou-se em realidade. Foram diversas pessoas que colaboraram para a consolidação do fato mais importante dos 73 anos de história de Três Rios. Mas não se esqueça que tudo começou na simplicidade de uma pequena notícia de jornal.
 
Qual o limite para sonhar? Responda agora, se puder...
Comentários