Fábrica da Nestlé em Três Rios começa a operar em agosto
Por Redação - 17/03/2011, 13h51
O prefeito Vinícius Farah, o presidente da Nestlé Brasil, Ivan Zurita, e o governador Sérgio Cabral oficializando a instalação da fábrica em Três Rios (Foto: Marino Azevedo)
O governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho, o presidente da Nestlé Brasil, Ivan Zurita, e o prefeito de Três Rios, Vinícius Farah, anunciaram oficialmente a instalação de uma fábrica do grupo no município do Centro Sul Fluminense. A solenidade aconteceu na manhã de ontem (16), no Palácio Guanabara, onde as autoridades concederam uma entrevista coletiva à imprensa nacional.
 
Conforme antecipou o Entre-Rios Jornal, esta é terceira fábrica da Nestlé no Estado do Rio, e a 31ª do país. O grupo de origem suíça, que atua no Brasil há 90 anos, investirá inicialmente R$ 200 milhões no projeto que destina-se à produção de leite e outras bebidas lácteas. A fábrica começará a operar em agosto deste ano.
 
O governador exaltou a presença cada vez mais forte do grupo em território fluminense, graças à política de incentivo à industrialização promovida pelo Governo do Estado, aliada a um programa de incentivo à produção leiteira mais ousado do Brasil, o programa Rio Leite, segundo o governador.
 
– O Rio de Janeiro, por causa de sua pequena extensão territorial, não pode competir em quantidade com a produção agropecuária de outros estados brasileiros, mas pode ganhar destaque pela qualidade de sua produção. Optamos por ser uma espécie de França no Brasil. E é muito importante ter a marca Neslté cada vez mais agregada a este objetivo – afirmou Cabral.
 
Maquete da fábrica de Três Rios
 
Segundo o presidente da Nestlé Brasil, Ivan Zurita, a nova fábrica vai produzir inicialmente 200 mil litros de leite por dia, com projeção de chegar até 1 milhão de litros por dia. A produção terá como alvo os mercados fluminense e do Sul de Minas Gerais. A multinacional vai produzir leite UHT das marcas Ninho e Molico e bebidas lácteas, a base de soja e achocolatadas. O executivo revelou que as empresas da multinacional vão gerar este ano uma receita aos cofres do Estado do Rio acima de R$ 100 milhões em impostos.
 
– O Estado do Rio de Janeiro, pela primeira vez, em 90 anos da empresa no país, passou a ser a primeira filial da Nestlé no Brasil em vendas, superando a então líder histórica, que é São Paulo. Isto não significa que São Paulo está trabalhando mal, significa que o Rio de Janeiro é que está crescendo numa velocidade superior à média do Brasil. Isto foi um dos motivos da nossa decisão de investir nesta nova unidade – frisou Zurita, acrescentando que a Nestlé brasileira ocupa hoje a segunda posição do grupo entre os mais de cem países onde opera, superando a França. – A velocidade do nosso mercado nos últimos anos tem alcançado índices superiores aos demais países – completou o executivo.
 
Zurita informou ainda que a cadeia produtiva da multinacional no país emprega hoje cerca de 220 mil famílias direta e indiretamente. Segundo ele, cada emprego direto nas linhas de produção do grupo gera de oito a dez indiretos. No Estado do Rio, a empresa possui uma indústria em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, para produção de sorvetes, inclusive da marca Garoto, e outra em Petrópolis, na Região Serrana, para envasamento de água mineral. O investimento da Nestlé no estado já chega a, pelo menos, mais de R$ 3,3 bilhões.
 
De acordo com o secretário de Agricultura e Pecuária, Christino Áureo, graças aos incentivos do Estado, a produção de leite, que em 2007 era de 470 milhões de litros/ano, já passou de 600 milhões de litros/ ano. A meta é chegar, até 2015, a 1 bilhão de litros/ano. A nova fábrica da Nestlé vai produzir de 350 a 400 mil litros de leite por dia.
 
– A Secretaria de Agricultura fornece não só incentivo às indústrias como também aos produtores de leite. A nova fábrica da Nestlé é o coroamento e confirmação das ações do Programa Rio Leite. Antes decadente, o setor hoje está em franca produção, com a instalação das principais indústrias deste segmento no território fluminense – destacou o secretário.
 
Comentários
Mais de Três Rios