Margarida, Serventuária Modelo

*Fernando Costa

Região - (Cotidiano) - Sábado, 23 de Junho de 2018.

Margarida, Serventuária Modelo

Abro os faustos da história e da memória para falar de uma luminar trirriense que fincou raízes em Petrópolis na benquerença e presença: Margarida Maria Barbosa Ribas. E junto a essa locomotiva social e cultural, reluz o seu marido Taytson de Toledo Ribas, ex-aluno dos Colégios Plínio Leite e Werneck. E nessas joias vejo incrustadas três gemas preciosas de intenso brilho: sua filha Rosângela (que junto ao esposo Lionel Florentino) lhes deram os netos Cristina e Léo. Desde tenra idade aprendi a conviver nesse clima de amor e bons fluidos. Célio Barbosa foi estagiário da doce Margarida tendo recebido o carinho e a atenção do bom Taytson. Margarida foi Demoiselle d’honneur do casamento de Celina e Calixto, pais de Célio. São tantos laços que nos unem... Não digo uniam porque a morte só existe quando apagamos de nossos corações aqueles a quem amamos. Margarida Maria Barbosa Ribas, viúva de Taytson de Toledo Ribas, falecido em 21-04-1983. Ela, Bacharel em Ciências Contábeis e Tabeliã e Escrivã da 1ª. Vara Cível da Comarca de Três-Rios, desde 1955, acumulou os cargos de Escrivã Eleitoral, Secretaria do Juízo e Preposta da Junta Comercial da Região. Inaugurou nessa cidade a Justiça do Trabalho, lhe sendo entregue à época, a chave daquele Órgão quando da inauguração da mesma pelo então Desembargador Alédio Vieira Braga. Fundadora do Clube Juvenil Trirriense, que funcionava em sua residência à Rua Mariano Procópio, n° 241 onde 60 jovens se reuniam nos finais de semana para a prática de esportes, dançarem e desfrutarem de uma vida social digna, marcando assim uma época, tendo sido reconhecido pelo Governo do Estado, "Utilidade Pública". Sempre se preocupou com a juventude de nosso País. Nasceu em 22 de junho de 1930, em Miguel Pereira/RJ e, aos quatro anos de idade veio radicar-se na cidade de Três-Rios e devido a todos os méritos reconhecidos pela Câmara dos Vereadores em meados de 1968, tornou-se Cidadã Trirriense. Margarida dedicou sua vida à família, ao próximo, (tendo criado 5 filhos que não eram consanguíneos, mas, eleitos pelo coração e, os encaminhado para a vida), e ao Poder Judiciário. Mantinham às suas expensas todas as obras necessárias no antigo Fórum da Comarca, situado à Praça São Sebastião, n° 224, hoje funciona hoje o Juizado de Pequenas Causas. Por ela passaram estagiários que hoje são : advogados renomados, Juízes de Direito, Secretários Municipais, Prefeitos, etc .... Lutou para que a Comarca de Três-Rios fosse elevada a Comarca de 2ª entrância, com vários trabalhos encaminhados ao Egrégio Tribunal de Justiça, à época Niterói... Participou com sugestões para a criação do Novo Código de Organização Judiciária do Estado, quando da fusão Guanabara e Estado do Rio de Janeiro em 1975. Não existia dia nem hora para que trabalhasse. Sempre recebeu elogios em toda a sua carreira funcional. Foi condecorada com a Medalha Tiradentes outorgada pela Assembleia Legislativa do estado do Rio de Janeiro em 21 de abril de 1998. A filha do casal Rosângela Maria Barbosa Ribas Florentino advogada e especialista em Direito Notarial foi Serventuária da Justiça nesta Comarca por vários anos. É Virtuosa, culta, inteligente e luminar das ciências jurídicas. Margarida, ao falecer em Três-Rios no dia 06-09-2005, seguiu ao Rio de Janeiro para a cremação no Memorial do Carmo em atenção ao seu pedido inclusive que suas cinzas fossem arremessadas sobre a cidade que ela escolheu para viver e que tanto amou.

*Membro do Instituto Histórico de Petrópolis-RJ

Por Redação

Publicidade
AMARO 728x90 17C12
AMARO 300x250_2