Polícias Civil e Militar se unem e realizam “Operação Dominó”

A ação visa reprimir o tráfico de drogas e, indiretamente, combater a prática dos roubos e homicídios relacionados a estes delitos

Paraíba do Sul - (Polícia) - Quinta, 10 de Agosto de 2017.

Polícias Civil e Militar se unem e realizam “Operação Dominó”

Mais uma vez com o intuito de combater o tráfico de drogas, o uso ilegal de armas de fogo e a vinda de traficantes da cidade do Rio de Janeiro para Paraíba do Sul, a Polícia Civil (107ª DP) e a Polícia Militar (38º BPM), se uniram e realizaram, nas primeiras horas da manhã de ontem (9), a “Operação Dominó”, que resultou na prisão de oito pessoas.

A ação, que teve como prioridade a localidade conhecida como Agronômica, no bairro Parque Niágara, foi desenvolvida a partir de inquéritos policiais, nos quais foram verificados que adolescentes de favelas cariocas estavam sendo aliciados para atuar na comercialização de entorpecentes no município.

Esses menores foram identificados, apreendidos e encaminhados para instituições de internação em outra ação realizada anteriormente e a partir daí a polícia buscou realizar uma espécie de efeito dominó, identificando as pessoas responsáveis pelas drogas apreendidas e pelo recrutamento dos adolescentes.

No curso das investigações a polícia apreendeu drogas, rádios comunicadores, arma, munições e identificou três indivíduos suspeitos de portar armas de fogo na localidade da Agronômica.

Com base nos fatos relatados acima, a autoridade policial representou pela expedição de nove mandados de prisão preventiva pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico e os mandados foram expedidos pela justiça no início desta semana.

Tiveram suas prisões preventivas decretadas: Adimilson Paiva Souza (Baby), de 24 anos, Alanderson Paiva de Souza (Cabelinho), de 22 anos, Jonatan França Gonçalves (Jonycu), de 19 anos, Iorrany Agata de Paula Rocha, de 19 anos, Leonardo da Silva Guerço (Léo), de 28 anos, Ronan de Salles Januário (RN), de 18 anos, Marília Aparecida Adriano, de 35 anos, Ariel Quanan Carvalho Sant'ana, de 28 anos (Preso em 2015 na Operação Serrana l) e Vitor Castilho De Oliveira (VT), de 34 anos.

Durante as investigações foi apurado que Leo Guerço agia em conjunto com Iorrany, Adimilson (Baby) que atuava ao lado de seu irmão Alanderson (Cabelinho) e o Ronan Januário era uma espécie de gerente do tráfico na localidade, estando a serviço de Vitor Castilho, o VT, que é de Paraíba do Sul e se encontrava foragido no Complexo do Alemão (RJ), de onde mandava parte da droga a ser comercializada na cidade.

Quanto a Ariel Quanan, preso desde 2015, teve um novo mandado de prisão decretado contra ele em função dos indícios de que o mesmo, de dentro do presídio, estaria auxiliando no recrutamento de adolescentes em favelas ligadas ao Comando Vermelho.

Marília Aparecida teve um mandado de prisão expedido contra ela em razão dos indícios de que ela teria se associado ao grupo criminoso e hospedava em sua casa jovens traficantes vindos do Rio de Janeiro. Quanto a Jonatan, as investigações apontaram que se tratava de um traficante de maior periculosidade por ostentar armas de fogo e hostilizar moradores.

Durante a operação, sete dos nove mandados de prisão preventiva foram cumpridos nesta quarta-feira (9), não sendo localizados Vitor Castilho “VT”(que já estava foragido) e Ronan Januário, sendo que as buscas pelo paradeiro deste elemento continuarão até que sejam encontrados e presos.

Na casa de Leo Guerço, a polícia encontrou uma TV de 42 polegadas que havia sido furtada em 2015 em uma creche municipal no bairro Bela Vista. A TV foi apreendida e devolvida ao município, e por este crime Leo foi autuado em flagrante na receptação dolosa.

Também foi preso, no decorrer da operação, por tráfico de drogas Jean da Silva Domingos, de 20 anos, com 13 pedras de crack, sendo também demonstrado que ele atuava como vapor de Leo Guerço na comercialização de entorpecentes.

A operação Dominó foi fruto do trabalho integrado das Policiais Civil e Militar, com total apoio do Ministério Público e do poder Judiciário. A ação fez parte de uma série de operações policiais que vêm sendo realizadas em Paraíba do Sul com a finalidade de reprimir o tráfico de drogas e, indiretamente, combater a prática dos roubos e homicídios relacionados a estes delitos.

Quem tiver informações que levem ao paradeiro de Vitor Castilho (VT) e Ronan Januário, pode entrar em contato com a Polícia Militar no 190 ou com a 107ª DP através do telefone (24) 2263-2341. A Polícia garante o sigilo total das informações.

Por Redação