ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ÚLTIMAS

A Função Social dos Museus

Quinta, 20 de Maio de 2021.

  A Função Social dos Museus Nos anos 20 movimentos que discutiram a teoria da história vieram trazer mudanças significativas. A história dos acontecimentos até então, uma história linear, fundamentalmente política e diplomática onde se estuda a figura dos monarcas, reis, rainhas, barões e baronesas, estadistas e outras personalidades centrais, passaram a ser contestada. Nos anos 60 outro movimento da história mudaram os sujeitos históricos das narrativas acadêmicas, contribuindo para consolidar o lugar do homem comum nas narrativas dos historiadores. Essa história, em oposição à antiga história tradicional do poder, buscou explorar a vida, os costumes e as tradições daqueles que eram sempre esquecidos: servos, escravos, mulheres, movimentos sociais, operários,estudantisetc. Essa mudança também se deu com os museus, eles deixam de ser um instrumento de legitimação do Estado e passam a atuar por meio dos diversos contextos sociais, contemplando a diversidade cultural, presente em meio a uma sociedade hibridizada.
A função social de um museu está intimamente ligada ao espaço em que se encontra, independentemente de qual seja e será por intermédio dessa função que será traçada uma linha mestra de ação, a fim de fundamentar e orientar toda e qualquer atividade no âmbito da instituição. Cada vez mais o papel do museu vem sendo a serviço de afirmar contribuir e divulgar novas identidades. O museu pode atuar através da instrumentalização de seu acervo e da atração das múltiplas culturas existentes em seu território, contribuindo para a construção das mediações entre elas e sendo determinante para a criação da tolerância, como da hibridização e de novas identidades inclusivas.
A demanda por museus, institucionalizados para a divulgação da diversidade, especialmente no âmbito dos movimentos sociais, em especial no Brasil, vem crescendo. Como espaço de resistência, podemos enumerar alguns: Museu Arte Negra, Museu do Índio, Museu Imagem do Inconsciente, criados para romper com o preconceito racial, cultural e dos pacientes psiquiátricos, mostrando que estes produzem arte, possuem cultura e identidades. Podemos destacar também que cresce o número de instituições de memóriacriadas para servir de porta voz dos grupos sociais excluídos, servindo como instrumentos de resistência e legitimação da identidade cultural.
A museologia cada vez mais tem papel de destaque nas discussões sociais e na sua própria disciplina. Acabamos de comemorar Semanal Nacional dos Museu que aconteceu de 24 a 29 de maio, e foram muitos os acontecimentos e lives por todo Brasil.O tema desse ano, escolhido pelo ICOM -Conselho Internacional dos Museus foi o futuro dos museus: recuperar e reimaginar. As instituições foram mobilizadas pelo Instituto Brasileiro dos Museus - IBRAM.
Assim caminhamos, no sentido de colaborar e contribuir com o Plano Museológico do Museu Histórico de Três Rios.As reflexões para o futuro museu se fazem necessária, devemos ter uma reflexão crítica com o passado no sentido de contribuirmos com ações criativas pensando no desenvolvimento social da nossa cidade.

Por Vera Alves - Cultura Centro-Sul

Crédito da Foto: Reprodução