A inocência de uma criança

Quinta, 25 de Julho de 2019.

Ontem eu estava assistindo um programa no qual estavam comentando sobre cinco músicas de uma dupla famosa que seriam censuradas nos dias de hoje.. Essa dupla após anos separados resolveu fazer uma turnê pelo país. E quando no programa citavam a música, colocaram um vídeo deles cantando. E naquela época eram crianças. Tem músicas que eu nem conhecia. Mas uma delas é bastante conhecida e foi gravada em 1991. Me lembro que quando eles cantavam a plateia ria, todos achavam engraçado. Ou seja, as pessoas não levavam em conta a letra e muito menos pensavam como nos dias de hoje. O que chamava a atenção era a forma como as crianças cantavam e sua performance. Será que se você parar para se lembrar das músicas que cantava quando era criança ou há alguns anos, se sentiria constrangido? O interessante é que depois de quase trinta anos é que as pessoas começaram a ver o duplo sentido dessa e de tantas músicas. Você pode estar se perguntando onde quero chegar. E digo que após ver a discussão do programa, fiquei pensando na palavra “inocência” quantas vezes falamos sobre essa palavra mas não nos importamos com o que ela significa de fato. Mas pude perceber ao ver o vídeo daquela dupla de crianças cantando sem saber de fato o que a letra dizia, vi que eles eram tão puros e inocentes no que faziam que nem os adultos da época questionaram ou criticaram o que estavam ouvindo e assistindo. Creio até que até os adultos se tornaram inocentes. Pois, não viram maldade. E hoje, quando a dupla voltou ao palco para se apresentar, após anos separados e vendo as críticas a letra da música que a plateia começou a cantar em coro em uma de suas turnês, um dos componentes, logo pensou rapidamente e mudou a letra da música. Ou seja, agora eles cresceram, o tempo passou e ao ouvir algumas críticas, puderam perceber que não havia inocência na música que durante anos foi a marca do sucesso deles. E nós, sabemos quando é a hora de parar? Uma criança não sabe distinguir um duplo sentido na letra de uma música. A inocência de uma criança é algo sublime que não deve ser usada para enganá-la. Infelizmente, muitas pessoas se aproveitam disso para maltratarem, enganá-las e até mesmo fazer mal. Por isso, deixe uma criança ser e se sentir criança. Hoje, diferente da dupla citada, vemos crianças cantando músicas com palavrões, sensualidade e até mesmo com coreografias indecentes. Por isso, é fundamental que deixemos que as crianças sejam crianças. Fazer o contrário é roubar o seu direito de ser criança, tirar sua inocência.

Por Suzane Ferreira

B01 - 728x90