A misteriosa morte de Mozart

Sábado, 08 de Dezembro de 2018.

A misteriosa morte de Mozart

Deitado em uma cama, esgotando suas forças ao compor enérgica e intensamente, em companhia de um “amigo”; assim o filme “Amadeus” (1984) retrata as últimas horas de vida do compositor Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791). O “amigo” em questão seria o compositor Antônio Salieri (1750-1825), descrito no filme como invejoso, traidor e possível assassino de Mozart.
No ano de 1791, Mozart enfrentava sérios problemas; suas dívidas, contudo, era o maior de todos os males. Para quitá-las, compunha incansavelmente. Sua saúde fragilizada e o ritmo de trabalho intenso terminariam por abreviar a vida do maior gênio musical de todos os tempos.

A missa dos mortos

Em uma noite de Julho de 1791, um desconhecido bate à porta de Mozart solicitando que o compositor escrevesse uma obra sacra em memória de um falecido, uma “Missa de Réquiem”. Recomendado foi que Mozart escrevesse rápida e secretamente, pagando-lhe um expressivo valor de adiantamento, com a promessa de pagar a mesma quantia assim que a peça fosse entregue. Mozart encontrava-se seriamente endividado, passando a dedicar-se intensamente à obra. Mozart assumira grandes responsabilidades nesta época, o que o levou à exaustão física e mental, chegando a afirmar que escrevia a Missa de Réquiem para seu próprio funeral. Infelizmente a previsão macabra de Mozart se confirmou: o compositor morreria na madrugada do dia 05 de Dezembro daquele ano, deixando a missa incompleta. Hoje, sabe-se que o desconhecido que encomendara a peça era um nobre que queria homenagear sua falecida esposa passando-se por compositor da obra.

Salieri assassino?

No início do século XIX surgem rumores de que Mozart fora assassinado por Antônio Salieri, compositor de origem italiana que alcançara grande sucesso na corte vienense. Os boatos surgem em 1823 quando Salieri, doente e insano, é internado em um asilo. Este confessava, eventualmente, ter envenenado Mozart, desmentindo o fato em momentos de lucidez. Embora poucos acreditassem nas palavras de um velho doente, foram suficientes para que a história ganhasse certa veracidade.
Em 1830, inspirado pela misteriosa morte de Mozart, o novelista russo Alexander Pushkin (1799-1837) escreve uma peça intitulada “Mozart e Salieri”, que serviria de matéria-prima para o roteiro do filme “Amadeus”.
Pesquisas recentes conseguiram elucidar a “causa mortis” de Mozart. Após analisar documentos da época, descobriu-se que o compositor morrera de uma infecção bacteriana renal aguda.
Atualmente, embora saibamos que o assassinato de Mozart seja apenas ficção, esta história permanece no imaginário das pessoas.

Por Vinícius Pereira

B01 - 728x90