A PIOR CANTORA DE TODOS OS TEMPOS

Sábado, 09 de Novembro de 2019.

Florence Foster Jenkins (1868-1944), nascida em uma rica família, teve contato com a música desde muito cedo. Aos sete anos iniciou seus estudos ao piano, mostrando certa habilidade ao instrumento. Ainda jovem, dava recitais nos salões da alta sociedade norte-americana.
Ao longo de sua juventude sua paixão pela música crescia, em especial seu interesse nos estudos do canto lírico. Aos 17 anos, pediu ao pai, um banqueiro magnata, que custeasse seus estudos musicais na Europa, pedido este negado, pois seu pai não concordava com o desejo de sua filha em seguir a carreira dos palcos, pois temia exposição exagerada.
Frustrada, Florence abandona o lar, casa-se e passa a dar aulas de piano. Após, divorcia-se e procura levar uma vida independente.
Para a “sorte” de Florence, seu pai falece deixando-lhe uma enorme fortuna, estando, assim, desimpedida para seguir sua tão sonhada carreira musical. Para tal, contratou os melhores professores de canto e passou a estudar com dedicação, contudo, não possuía talento suficiente para encarar os papéis do repertório lírico. Isto, no entanto, nunca foi impedimento, afinal, Florence tinha dinheiro... muito dinheiro!
Florence tornara grande mecenas, patrocinando sociedades musicais e promovendo seus próprios concertos. Alugava os melhores teatros de Nova York para suas récitas e doava a renda da bilheteria para a caridade. Ela realizou, também, gravações comerciais, lançando dois discos financiados com recursos próprios. Os discos e ingressos vendiam bem justamente pela sua voz ruim e técnica sofrível, pois todos queriam ver aquela mulher “exótica”, que cantava mal, mas o fazia apenas pela alegria da música.
Em 2016 foi lançada uma cinebiografia da cantora tendo Meryl Streep no papel de Florence Foster.

Por Vinícius Pereira

B01 - 728x90