Assédio Moral no Ambiente de Trabalho

Sábado, 08 de Dezembro de 2018.

Assédio Moral no Ambiente de Trabalho

Quando falamos sobre questões referentes à saúde e segurança do trabalho normalmente pensamos nos trabalhadores em seu ambiente laboral exercendo suas funções em meio a mobílias, máquinas, equipamentos, edificações, riscos ocupacionais, Equipamentos de Proteção Individual, jornada de trabalho bem como todo o contexto organizacional existente em nosso subconsciente coletivo, porém raras são as vezes em que nos damos conta deque existe todo um cenário não físico e/ou material com potencial para ocasionar danos à integridade física e psicológica dos trabalhadores. Com o passar dos anos a globalização e o maior acesso a informação tem quebrado alguns tabus, dentre eles destaca-se o assédio moral no ambiente de trabalho, por muitos anos esse tipo de assédio tem levado trabalhadores a situações vexatórias e degradantes onde os mesmos são verdadeiramente humilhados, tais atitudes têm sido trazidas a público, o que antes era varrido para debaixo do tapete e acabava por ficar em off. Para que possamos nos atentar a tal tipo de situação e tomar medidas cabíveis precisamos primeiramente entender deque forma isso ocorre de fato. O Assédio moral no ambiente de trabalho é tão antigo quanto o próprio trabalho propriamente dito, caracterizando-se por condutas capazes de levar o trabalhador a sofrer um verdadeiro ato de violência psicológica o expondo a situações ultrajantes de verdadeira humilhação, onde o valor a princípios éticos e morais deixa de existir por parte do agressor, são atos repetitivos capazes de causar um prejuízo imensurável, por mais armado psicologicamente que esteja a vítima diante de todo o transtorno. Devemos diferenciar situações isoladas que possam vir a acontecer no decorrer da jornada de trabalho como divergências de opinião, bronca eventual e situações semelhantes do assédio moral no ambiente de trabalho, que acontece de forma rotineira, esse tipo de assédio ocorre de forma contínua com práticas como xingamentos, minar o trabalhador no exercício das atividades, exigir metas inalcançáveis, por apelidos que ocasionem constrangimentos, negar folgas e emendas de feriados quando outros trabalhadores são contemplados, gestos, sonegar informações, utilizar tom ameaçador, expor o trabalhador a ambientes de trabalho não condizentes com sua função e condição, fazer chacotas, agir com rigor excessivo, fazer ameaças, apropriar-se de ideias, projetos e afins, realizar críticas exageradas ou de forma injusta e etc. Existe diferentes formas de assédio moral no ambiente de trabalho, destacam-se o assédio moral vertical, ascendente e horizontal. O assédio vertical caracteriza-se pela prática vinda do superior hierárquico para com o subordinado (assédio vertical descendente). O assédio moral ascendente tem como característica o assédio por um ou diversos subordinados em relação a um indivíduo que ocupe posição hierárquica superior sendo o mesmo empregador ou não.O assédio moral horizontal ocorre por assediador de mesmo nível hierárquico. Vale ressaltar que o assédio existe tanto em empresas quanto em instituições e/ou ambientes em que se venha a trabalhar. Existe ainda o assédio intelectual onde o indivíduo possuidor de maior cargo mina as atividades do trabalhador de menor cargo, sabota, isola, desconsidera, desmerece não levando em conta o trabalho realizado, proatividade, dedicação, tempo de trabalho dedicado na execução das tarefas, habilidades, perfil profissional, especializações e afins. Em muitas das vezes o grupo de trabalhadores diante do assédio acaba por dar continuidade e agir da mesma forma, o que leva a um quadro de maior violência psicológica. Basicamente a vítima por algum motivo ou mesmo de forma aleatória é escolhida para sofrer o assédio sendo posteriormente isolada do grupo sem explicações. A estratégia do agressor consiste em fragilizar a vítima menosprezando-a acabando por deixá-la a parte dos demais. Um dos maiores objetivos do agressor é que a vítima venha a pedir demissão ou ser demitida, por vezes isso é maquiado como insubordinação ou baixa produtividade. Pessoas que sofrem o assédio normalmente acabam por precisar de posterior acompanhamento psicológico tamanha hostilização, levando-a a sentir-se inferiorizada, culpada e desacreditada. A vítima pode vir a se isolar do ceio familiar e de seu ciclo de amizades, chegando a buscar fuga na bebida alcoólica e/ou outras drogas. A humilhação de forma repetitiva além de afetar na vida pessoal e laboral do trabalhador de forma direta pode ocasionar graves danos à saúde física e mental podendo vir a progredir para uma doença, diminuição da capacidade no exercício das tarefas, desemprego, depressão e podendo chegar até mesmo a morte. É importante que a vítima crie mecanismos de defesa que incluem a obtenção de provas contra o(s) autor(es) e procure as medidas cabíveis mediante a procura de seus direitos legais através da justiça.Se presenciar tais fatos tente servir de ajuda! Em um mundo globalizado o lado sombrio, arcaico e autoritário de certos homens e mulheres ainda se faz presente, não devemos permitir que isso aconteça e que pessoas vivam essa escuridão. O princípio bíblico amar ao próximo como a ti mesmo, que se tornou um alicerce para a convivência em sociedade não se aplica nessas situações e o significado da palavra respeitos e torna irrelevante. O senhor é o nosso pastor e nada nos faltará.

 

Por Jheancarlos Garcia

Crédito da Foto: Divulgação

B01 - 728x90