Carta a Deus e Jesus Cristo sobre Eleições 2018 no Brasil

Sexta, 05 de Outubro de 2018.

Prezados Deus e seu filho Jesus Cristo, aqui quem vos escreve é esse professor ateu, que mora na cidade de Três Rios no Brasil. Devem estar estranhando um ateu convicto e confesso estar lhes escrevendo. Os tempos aqui no Brasil andam muito tenebrosos e temerosos. Por isso essa carta. Vocês devem saber que no próximo domingo teremos eleições gerais aqui no Brasil, um país do qual muitas canções afirmam ser uma terra abençoada por Vocês. Inclusive é comum a menção que você (Deus) seja brasileiro. Escolheremos nessas eleições, presidente da República, Governador dos 27 estados, Senadores, Deputados Federais e Estaduais. Vocês sabem que esse direito foi surrupiado, roubado, proibido ao povo brasileiro por 21 anos na ditadura empresarial militar (1964-1985)?. Também sabem que torturas horríveis- parecidas com as que seu filho Jesus Cristo sofreu na mãos dos romanos- foram realizadas por parte dessas pessoas. Estou falando de choques elétricos nas genitais e mamilos de homens e mulheres, introdução de ratos e cabos de vassouras em ânus e vaginas das pessoas que eram presas, agressões horríveis na presença de filhos dessas pessoas presas. Uma verdadeira selvageria. No caso da tortura terrível que seu filho sofreu dos romanos, ele- Jesus Cristo- teve a imensa decência de pedir a Você que perdoasse seus agressores. Está lá em Lucas 23:34 “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”. Aqui estão pedindo assassinato de pequenos ladrões, mesmo tendo companhia de imensos ladrões. Um ódio aos mais simples. Estou lhes escrevendo para dizer que Vossos nomes- Seu e de seu filho Jesus Cristo- tem sido usado de forma que não poderiam concordar. Tendo Você passado pela experiência de ver seu filho Jesus Cristo torturado barbaramente na presença de sua mãe (Maria), entende a selvageria e gravidade. Candidatos a diversos cargos estão usando seus nomes para defender práticas inaceitáveis. Cito nominalmente a homenagem aos torturadores.
Também muitas pessoas tem usado Seu nome e transformado locais que falam ser Sua casa em locais de comércio. Exigem das pessoas mais pobres contribuições financeiras que farão imensa falta para essas pessoas pobres. Explorando a fé das pessoas. Lembra quando seu filho Jesus Cristo expulsou os vendilhões do templo, que transformavam Sua casa num local do comércio? Esses comerciantes tem usado seu nome para perseguir uma série de outras pessoas. As vezes até destroem seus símbolos religiosos.
Alguns pedidos Seus estão ignorados, como por exemplo de sermos “uns com os outros bondosos e compassivos. Perdoai-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou, em Cristo” (Efésios 4:32). Pessoas estão sendo mortas apenas por amarem de forma diferente. Apedrejadas. Lembra quando Vosso filho Jesus Cristo saiu em defesa de Maria Madalena. Mesmo reconhecendo em seu eventual erro (pecado)? Vosso filho levantou-se e “lhes disse: Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra. (...) João 8:10 Erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém mais além da mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? João 8:11 Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, lhe disse Jesus: Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais”.
Tem mais, medidas que tornam a vida das pessoas mais pobres- aqueles que vocês serem os “bem aventurados”- estão sendo atacadas por candidatos que usam seus nomes. Existe no Brasil algo chamado 13 salário, que os trabalhadores e trabalhadoras recebem ao final de cada ano. Isso é central para as famílias na homenagem que fazemos ao nascimento de seu filho em 25 de dezembro. Mesmo as pessoas não religiosas como esse professor, celebram com suas famílias no que chamamos de Natal. Defender o fim do 13º salário é acabar com a celebração do Natal. Nada mais anticristão.
Você e seu filho Jesus Cristo deixaram um imenso legado de amor ao próximo, perdão, compaixão, decência, igualdade, condenação da hipocrisia, dedicação aos mais pobres. É justamente isso que está ameaçado. Caso possam avisar aos seus seguidores brasileiros que seus ensinamentos e lições estão ameaçados agradeceremos bastante. Um abraço,
Marcelo

Marcelo Paula de Melo é doutor em Serviço Social (UFRJ) e professor da EEFD-UFRJ.

Por Marcelo Melo

B01 - 728x90