Catequese e iniciação na vida cristã

Quarta, 22 de Agosto de 2018.

O mês de agosto é para a Igreja Católica no Brasil o Mês Vocacional. A cada semana se reflete e se reza por uma vocação especifica, a partir do simbolismo próprio do domingo, que se inicia a respectiva semana. Assim, celebramos por primeiro a Vocação ao Ministério Pastoral, compartilhado pelos padres, bispos e diáconos; na segunda semana a vocação à Vida Conjugal e familiar; nesta semana a vocação dos consagrados, dos frades, freiras e leigos de especial consagração; e, por último, a Semana das Vocações aos Serviços e Ministérios dos Leigos e Leigas. Esta última tem início no próximo domingo com o Dia do Catequista.
Sempre que ouvimos falar de catequistas lembramo-nos frequentemente daqueles que no catecismo nos prepararam para a Primeira Comunhão e a Crisma.E como lhe somos gratos! O Catecismo é ministério que vem evoluindo muito nos últimos anos. Aos poucos se supera a ideia de aulas de catecismo por encontros catecumenais. O que mudounão foi apenas o nome. Quando falávamos de catecismo a maioria das famílias católicas entendiam-no como cursos paraa primeira Comunhão e a Crisma. E celebravam esses dias como que uma formatura escolar. Eram frequentes festas, diplomas, e presentes. Daí, que as crianças e os adolescentes, na sua grande maioria, considerando-se formados, a partir de então, sumiam da igreja. Os pais “tiravam um peso das costas” – como comumente diziam – e as catequistas eram homenageadas como professoras de religião que concluíam mais uma turma.
Com a inspiração dos documentos do Concílio Vaticano II e das Conferências Episcopais da América Latina, realizadas nas últimas décadas em Medellín, Puebla e Santo Domingo,resgatou-se a catequese como foi entendida e vivenciada nas comunidades do Novo Testamento e dos primeiros séculos da Igreja. Não catecismo meramente doutrinal, mas um processo catecumenal de iniciação à vida cristã em comunidade. Naquela época os simpatizantes da fé cristã, interessados em serem membros da Igreja de Cristo, eram apresentados à Comunidade, acompanhados num processo de iniciação - de no mínimo dois anos -, admitidos a seguir como catecúmenos e acolhidos, enfim, plenamente na Igreja pelos Sacramentos da Iniciação Cristã.
Assim, presenciamos hoje a passagem do superado curso de catequese para o Catecumenato de crianças, jovens e adultos. E este processo de iniciação à vida cristã que desemboca, como outrora, nos sacramentos do batismo, crisma e eucaristia, é assumido co-responsavelmente pelos pais e padrinhos que apresentam seus filhos/afilhados, pelo conjunto da comunidade que acolhe e pelos catequistas incumbidos de acompanhar a todos em seu processo iniciático. Não se tem mais cursos, mas uma forte experiência comunitária acompanhada de um aprofundamento bíblico, doutrinal, litúrgico e vivencial. O catecúmeno amadurecido é enfim acolhido plenamente pela Igreja. Os sacramentos celebram a adesão à fé, à comunidade de fé e à missão eclesial, esta conforme o carisma específico de cada um, dado pelo Espírito Santo.
Nesse último domingo nossos catequistas aprofundaram, num encontro Diocesano o tema da 4ª Semana Brasileira de Catequese, organizado pela Comissão Episcopal para Animação Bíblico-Catequética, que acontecerá, de 14 a 18 de novembro de 2018, em Indaiatuba (Itaici-SP): “ 4ª Semana Brasileira de Catequese a serviço da Iniciação à Vida Cristã”. E este sob o lema de inspiração bíblica: “Nós ouvimos e sabemos que Ele é o Salvador do mundo” (Jo 4,42). Esse evento tem como Objetivo geral “Compreender a catequese de inspiração catecumenal a serviço da iniciação à vida Cristã, buscando novos caminhos para a transmissão da fé, no contexto atual”. Este se desdobra, por sua vez, nos Objetivos específicos: 1) Refletir sobre a condição humana, a busca de sentido e a crise de fé na contemporaneidade; 2) Apresentar a iniciação à vida cristã como eixo articulador da ação evangelizadora, a serviço da qual está a catequese (CNBB, Doc. 107, 76); 3) Compreender o querigma e a mistagogia como caminho de renovação da comunidade e da formação do discípulo missionário de Jesus Cristo; e 4) Partilhar experiências significativas da catequese a serviço da iniciação à vida cristã dos regionais.
Assim a 4ª Semana Brasileira de Catequese é uma oportunidade de reafirmar nosso empenho e compromisso no serviço à Iniciação à Vida Cristã, como um itinerário para formar discípulos missionários de Jesus Cristo numa comunidade querigmática – que apresenta as primeiras verdades da fé -, mistagógica – que aprofunda bíblica e teologicamente e mesma fé - e missionária – que anuncia desde a comunidade o Evangelho da Vida ao conjunto da sociedade e a cada irmão/ã em particular. Lancemo-nos pois, nesse grade mutirão da Palavra que liberta e salva!

Medoro, irmão menor-padre pecador

Por Padre Medoro

B01 - 728x90