Como o Turnover “Rotatividade de Pessoal” Afeta o Ambiente de Trabalho e as Pessoas

Sábado, 08 de Junho de 2019.

Como o Turnover “Rotatividade de Pessoal” Afeta o Ambiente de Trabalho e as Pessoas

Algo que vem afetando diretamente a produtividade e níveis de segurança no trabalho nas empresas e instituições é o turnover “rotatividade de pessoal”, turnover é uma palavra que representa a rotatividade de trabalhadores de uma empresa ou instituição. Os principais motivos para a rotatividade de pessoal são: clima organizacional de baixa estima, desmotivação, falta de reconhecimento, ausência de oportunidade para crescimento, falta de flexibilidade de horário, baixo equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, necessidade de mudança organizacional, crise econômica, acumulo de funções, trabalho excessivo, falta de boa comunicação, baixa empatia com o gestor, falta de adaptação à cultura da empresa, remuneração abaixo do esperado, cobrança excessiva, esgotamento profissional, baixo desempenho profissional, faltas e atrasos, acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, preocupação com a própria rotatividade de pessoal e incapacidade de reter talentos por parte da empresa. O turnover torna o ambiente laboral mais inconstante e repleto de incertezas atingindo a produtividade e ocasionando uma maior rotatividade. Toda empresa quando substitui um colaborador acaba perdendo algo de alguma forma, às vezes a substituição acaba sendo uma solução viável, mas vale lembrar que toda planta arrancada deixa um espaço vazio com a terra mexida por certo tempo, por mais bem aplicado que seja o substituto algo irá ficar para trás, tempo, vivências e investimentos encabeçam a lista de perdas. A rotatividade produz um número maior de trabalhadores “novatos” e desconhecedores dos riscos existentes no ambiente laboral bem como sobrecarrega os demais colaboradores até que o quantitativo adequado para a realização das atividades seja alcançado. Um empregador inteligente compreende que reter talentos é investir no capital humano. É claro que muitos trabalhadores acabam por deixar a desejar ou não correspondem às expectativas dos empregadores contribuindo desse modo para o índice de turnover, mas cada caso é um caso e deve ser avaliado, não é aconselhável que faça parte da cultura do empregador ficar trocando seus trabalhadores sem que antes tenham sido esgotadas as tentativas para a permanência, vale lembrar que as trocas geram custos. O empregador que investe em seus trabalhadores investe em si mesmo. Um jardim que não recebe cuidados e onde as plantas são constantemente trocadas não tem tempo para florescer e produzir bons frutos. Se lembre que as pessoas não são ricas pelo que ganham, mas sim pelo que são e representam, tudo em determinado momento irá passar, porém nossos princípios e valores éticos e morais permanecem na posteridade, não se perca de si mesmo e dê o melhor no que faz para ter o melhor do que se faz.Reflita quais são os seus valores e dê o seu melhor por eles, busque ser a sua melhor versão mesmo que tenha que lutar muito para isso e que pareçaque ninguém está vendo todo o seu esforço e amadurecimento, existem mais coisas entre você e o seu melhor do que uma busca por reconhecimento. Espere mais de si mesmo e aprenda a confiar na sua evolução, construa a sua história e escreva o livro da sua vida, cresça com seus erros e acertos de forma pedagógica, não busque apenas ser bom, mas o melhor que puder ser. Não olhe para trás se não pretende voltar, não desista de seus sonhos e objetivos mesmo que pareça estar perdido em alto mar diante de uma tempestade, em algum momento ela irá passar, busque uma solução, se não puder guiar-se por uma bússola não olhe para baixo frustrado, olhe para o alto e se guie pelas estrelas.Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos.

Por Jhean Garcia

B01 - 728x90