Comportamento na web

Sábado, 29 de Setembro de 2018.

Comportamento na web

Este texto foi feito para o portal Sidney Rezende, em 2014, e já reprisado nesta coluna. Mas em período eleitoral, no qual os ânimos estão acirrados, sempre vale meditar sobre o melhor trecho dele:

Foto: divulgação Internet
A convivência em sociedade tem regras bem definidas, positivadas por leis ou derivadas de direitos universais transcendentes, em geral pautados pela ética e pela moral, ainda que não transcritos em ordenamentos jurídicos. A adequação a determinados grupos pressupõe respeito a suas normas e códigos de conduta, sob pena inclusive de rejeição. Se, como dizem, na vida real é assim, na virtual a recíproca é mais que verdadeira.
Embora muitos não tenham tal percepção ou alguns a tiveram tarde - nosso comportamento na web tende a ser considerado reflexo do cotidiano offline e interfere significativamente nas relações interpessoais. Vide, por exemplo, pessoas que sofreram represálias, perderam reputação e emprego por conta de comentários impróprios em sites e redes sociais. Feliz ou infelizmente, os momentos de irreflexão e desabafo, tornados em posts, nem sempre se dissociam do ciberespaço uma vez que, mesmo apagados, por um print podem ser eternizados.
Não custa, portanto, primar pelo bom senso na Internet, como em qualquer lugar. Seguir a cartilha, literalmente, tratando o próximo com cortesia e urbanidade, evitando bate-bocas, opiniões polêmicas, fofocas, boatos e transmissão de informações alarmantes que podem ser inverídicas - além, é claro, do odiado bullying e dos crimes de preconceito, que geram embaraços legais e nem precisariam ser citados.
Pessoalmente ou por trás da tela, agir com hombridade e apreço aos valores fundamentais geram estima e propiciam,com naturalidade, a aceitação que todos almejamos.
#PARAREFLEXÃO #BOMFIMDESEMANA

Por Daniele Barizon

Crédito da Foto: divulgação Internet

B01 - 728x90