Crítica musical: “Amores e outras Flores”

Sábado, 29 de Junho de 2019.

Após um longo caminhar pelo universo da Musica Erudita, comecei a me aventurar em outros estilos que, até então, conhecia superficialmente. Assim, no último ano, dediquei-me a descobrir o Jazz, a música de bandas, fanfarras, grupos de percussão, e a MPB. Na condição de iniciante, não me considero habilitado a emitir qualquer juízo de valor absoluto sobre o assunto, e é nessa circunstância que escrevo a presente crítica: com as minhas impressões, entendimentos e sensações sobre a obra fonográfica “Amores e Outras Flores”, de Zebeto Corrêa, com a participação de inúmeros artistas trirrienses.
Para “absorver” uma peça musical, você deve realizar uma escuta ativa, com total atenção à obra, sem tratá-la como mera “trilha sonora de seu cotidiano”. Assim, dediquei uma fração de quarta-feira passada para uma atenta escuta do CD a mim presenteado pelo médico pediatra Dr. Patrick Monnerat, coautor da obra em questão.
Acompanhei as canções através da leitura do encarte. Letra de agradável poética sentimental, emoldurada por uma música de sutilezas, resultado da leveza no emprego instrumental. A execução das peças é justa e habilidosa, e nos surpreende em saber que foram trabalhadas por músicos talentosíssimos da cidade de Três Rios.
Outro ponto notável que gostaria de elogiar é o competentíssimo trabalho como técnico de áudio realizado pelo músico Davi Gomes realizado em seu estúdio, que não deixa a desejar se comparado à produtoras de maior porte. Capa e acabamento elegante e zeloso, ilustrado com pintura do artista plástico Jorge Dip.
Por fim, parabenizo a união de forças cuja resultante é uma gravação que consolida o trabalho e o talento de nossa gente.

Por Vinícius Pereira

B01 - 728x90