Doenças Sexualmente Transmissíveis - D.S.T.s

Quarta, 27 de Junho de 2018.

Geralmente são adquiridas através da relação sexual com parceiros (as) infectados (as). Qualquer pessoa pode contrair estas doenças. Por isto, merecem toda a nossa atenção. A maioria delas são fáceis de serem curadas, desde que se procure tratamento médico logo no início.
Muitas pessoas têm vergonha de procurar o médico ao contrair uma D.S.T. e acabam pedindo conselho a pessoa não habilitada, o que dificulta a cura.
Quando você perceber algum sintoma de DST, deve imediatamente procurar um médico! Com isso, na maioria dos casos, terá rapidamente resolvido seu problema de saúde, evitando também contaminar outras pessoas.
Camisinhas e Espermaticidas ajudam a evitar doenças sexualmente transmissíveis. É bom evitar ter relações com pessoas que tenham feridas, verrugas ou pus nos órgãos sexuais.
Fora do ato sexual: procurar ter uma alimentação saudável, fazer exercícios e manter a limpeza do corpo; evitar usar roupas, toalhas ou quaisquer objetos íntimos de outras pessoas; ao utilizar banheiros públicos, tomar cuidado com a higiene, evitando sentar-se nos vasos sanitários, usar toalhas de pano, etc. Tomando estes cuidados, você estará evitando muitas doenças, além das sexualmente transmissíveis.
O condom (camisinha ou camisinha-de-vênus). Vênus é a deusa do amor; e os espermaticidas são encontrados nos Postos de Saúde e de Planejamento Familiar de sua comunidade e também podem ser comprados em qualquer farmácia.
1) AIDS/SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida); pode ser adquirida através da prática do sexo (vaginal, anal e oral = felação), com pessoas infectadas, através do sangue contaminado, ou da mãe infectada para o filho (antes, durante ou depois do parto, é a chamada transmissão vertical).
A AIDS/ SIDA pode atingir tanto o sexo feminino quanto o masculino e não depende da preferência sexual das pessoas. Ela é causada por vírus, o HIV, que provoca uma destruição das defesas naturais do corpo de forma que o organismo vai se enfraquecendo aos poucos, ficando sujeito à uma série de outras doenças causadas por parasitas oportunistas que antes não nos faziam mal e acabam produzindo doenças devido sua proliferação. Pessoas contaminadas podem permanecer meses ou anos sem apresentar quaisquer sinais da doença e, no entanto, são transmissoras do HIV.
A AIDS, quando já está declarada, apresenta uma série de sintomas que são comuns a outras doenças, como: cansaço permanente não relacionados aos esforços físicos; grande perda de peso sem explicação; febre, sudorese (suor) noturno e diarreia frequente sem causa definida; ínguas ou gânglios aumentados (adenopatias) por todo o corpo; feridas esbranquiçadas na boca (candidíase ou monilíase ou sapinho), tosse seca persistente e manchas roxas ou rosada na pele (tumor de Kaposi), só o médico pode fazer o diagnóstico, levando em conta o tempo ou duração das queixas, os exames complementares, etc. A AIDS nõ tem cura; precisa ser prevenida.
É importante saber:
- havendo muitos parceiros sexuais, o risco é maior;
- quando a parceira não mutuamente exclusiva e antiga, a camisinha é indispensável;
- nas transfusões, o teste de controle e qualidade do sangue ou produtos derivados devem ser exigidos;
- cortes ou feridas não devem ficar expostos ao contato com o sangue de outra pessoa;
- agulhas ou seringas devem estar esterilizadas; as descartáveis jamais devem ser reutilizadas;
- contato com saliva, lágrimas, suor, tosse, espirro não transmitem AIDS;
- o uso em comum de transporte público, caneta, piscina, saunas, maçanetas, sanitários públicos, sabonete, alimentos, pratos, talheres e copos, camas, etc, não transmitem AIDS;
- carinho e amor, relação sexual sem penetração e sem contato com líquidos internos do corpo de cada um não transmitem AIDS;
- doar sangue, desde que utilizam materiais descartáveis ou esterilizados não transmitem AIDS;
- picada de mosquito não transmitem AIDS.

Continua na próxima publicação...

Por Dr. Eneas Zandomênico

B01 - 728x90