Doenças Sexualmente Transmissíveis - D.S.T.s

Continuação

Quarta, 04 de Julho de 2018.

2) Sífilis (LUES ou Cancro duro)
É uma doença que ataca homens e mulheres, e pode levar o doente a ter complicações muito graves, se não for combatida a tempo.
A primeira manifestação da Sífilis se dá través de uma pequena ferida nos órgãos genitais sexuais (cancro duro), que começa a surgir duas ou três semanas após a relação sexual. Esta ferida é indolor, limpa mas com vários treponemas que é o agente causador da doença "Treponema pallidum ou Spirochaeta de Schaudin". Este cancro duro, faz a pessoa sentir como se tivesse um ou mais caroços e ínguas por baixo da pele (adenopatias) localizados nas virilhas, esses caroços ou íngua, também não doem. Mesmo sem tratamento essa ferida desaparece depois de algum tempo, e a pessoa pode pensar que ficou curada, mas, isto não é verdade: a doença continua no sangue e, meses depois, aparecem manchas em várias partes do corpo, inclusive nas palmas das mãos e solas dos pés. Essas manchas também desaparecem sozinhas, mas a pessoa continua doente.
É importante saber: que mulheres grávidas com sífilis passam a doença para o filho, logo no início da gravidez, a mulher deve fazer exame de sangue para saber se está com a doença. Se o médico verificar que a mãe tem sífilis, ele fará o tratamento adequado, evitando que a doença passe para o bebê, isto é importante: se a criança contrair a doença, poderá ter problemas muito sérios como pneumonia, problemas ósseos, feridas no corpo, cegueira, dentes deformados, surdez e até retardamento mental, nos casos mais graves.
Se não for feito nenhum tratamento, a doença estaciona até que meses ou anos mais tarde, aparecem as complicações mais graves, e a pessoa pode ficar cega, paralítica, com doenças nervosas, problemas cardíacos ou até mesmo morrer (óbito).

3) Blenorragia ou Gonorreia
Esta doença é uma das mais comuns entre as DSTs. Se, de dois a oito dias depois da relação sexual, o homem ou a mulher começarem a sentir uma ardência (disúria) e dificuldade na micção (urina), provavelmente contraíram gonorreia. Eles podem notar, também, um corrimento de cor amarelada ou esverdeada ou até mesmo com sangue, que sai através do pênis, no caso do homem, ou pela vagina, no caso da mulher.
Se não houver tratamento, tanto no homem, como na mulher, a blenorragia pode traer sérias consequências: pode causar esterilidade, que é a incapacidade de ter filhos; pode atacar o sistema nervoso, causando meningite; e pode afetar os ossos e até o coração.
Para a mulher, torna-se mais difícil reconhecer a doença, principalmente se ela estiver com corrimento. na mulher, a blenorragia pode causar outras doenças que provocam inchação (edema) muito dolorosos nos seus órgãos sexuais externos. Essa inchação ou edema aumenta rapidamente, até começar a sair um pus de cheio muito forte. Com a saída do pus, a dor melhora; mas a pessoa não fica curada. Se não for feito o tratamento adequado, algum tempo depois o pus volta a se formar, o edema volta e a doença se agrava cada vez mais, é a chamada Bartolinite, que dificulta a deambulação (andar) e é dolorosa.
O microorganismo causador da blenorragia é o Gonococcus gonorrhoeae.
A Blenorragia, ou gonorreia, recebe vários nomes: esquentamento, pingadeira, gota matutina, gota militar, etc.
4) Uretrites não gonocócicas
Nos homens aparecem corrimentos de oito a dez dias após a contaminação. Estes corrimentos são discretos (em pequena quantidade); há necessidade frequente e ardência ao urinar (disúria). Em alguns casos, os corrimentos podem ser parecidos aos da gonorreia, mas só o médico pode saber a diferença. As mulheres podem se infectar e transmitir essas uretrites aos homens sem, no entanto, apresentarem qualquer sinal da doença. Os microorganismos são: Trichomonas vaginalis; candidíase; gardnerella vaginalis; haemophilus vaginalis; ureaplasma, clamídia, etc
Continua na próxima publicação...

Por Dr. Eneas Zandomênico

B01 - 728x90