Leonardo da Vinci Músico?!

Sábado, 04 de Maio de 2019.

Leonardo da Vinci Músico?!

Homem de grandes habilidades e intelecto superior, Leonardo da Vinci (1452-1519) representa a essência do indivíduo renascentista: aquele que, regido pelas leis da natureza busca, na razão e na ciência, as respostas para as questões humanas. Cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico e poeta, qual teria sido sua contribuição para a música?
Embora tenha se dedicado a todos os ramos da ciência e das artes, não se conhece precisamente a contribuição de Leonardo da Vinci na música. Consta que executava peças na lira e no alaúde, que cantava e realizava algumas improvisações, contudo, nunca se encontrou registros de composições suas.
Acredita-se que da Vinci tenha aprendido música “de ouvido”, movido pelo seu grande interesse e curiosidade, praticando sozinho ou na companhia de amigos músicos, sem professor conhecido (embora um de seus amigos pudesse tê-lo ensinado alguns fundamentos musicais).
Seu envolvimento com a música não se restringia, porém, em tocar e cantar descompromissadamente. Da Vinci escrevera sérios e relevantes ensaios e reflexões sobre música, além de projetar e construir protótipos de instrumentos musicais.
Esclarecemos, assim, a questão: embora saibamos que Leonardo da Vinci possuísse bom conhecimento musical, não podemos precisar seu grau de domínio nesta arte, já que os documentos históricos são imprecisos e escassos. De qualquer maneira, sua genialidade jamais poderá ser contestada, ante o gigantesco conjunto de sua obra.

O outro Leonardo!

Causa enorme confusão aos inadvertidos o nome de Leonardo Vinci (sem o “da”). Trata-se, este, de personagem homônima ao mestre renascentista e que fora, de fato, músico profissional no início do século XVIII.
Leonardo Vinci nasceu no ano de 1690, na região da Calábria. Ainda jovem mudou-se para Nápoles, receberia sua formação musical. Dedicou sua carreira como compositor de óperas, contudo, escreveu, também, algumas peças sacras e instrumentais. Morreu em 1730 (supostamente envenenado!) deixando um legado de, pelo menos, uma centena de obras composta.

Por Vinícius Pereira

B01 - 728x90