Natal 2018: alegre solidariedade com a dor dos empobrecidos!

Quarta, 12 de Dezembro de 2018.


Estamos celebrando, no Calendário Litúrgico da Igreja, a 2ª Semana do Advento em preparação ao Natal do Senhor! Ecoa forte, nesses dias a pregação de São João Batista: preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas. Todo vale será aterrado, toda montanha e colina serão rebaixadas; as passagens tortuosas ficarão retas e os caminhos acidentados serão aplainados. E todas as pessoas verão a salvação de Deus (Lc 3,4-6). A acolhida do Senhor Jesus que vem, implica necessariamente no compromisso de todos os que têm fé com a igualdade fundamental de todos os filhos e filhas de Deus. A superação da distância entre as montanhas e os vales, entre os ricos e pobres é condição para a vinda do Salvador! O enfrentamento das passagens tortuosas e dos caminhos acidentados, das politicas econômicas demagógicas e excludentes é tarefa quotidiana para todo cidadão cristão.
Acolhendo o Pregão do Batista a Igreja vem procurando desenvolver várias iniciativas que buscam minorar a dor dos empobrecidos: são seus serviços e organizações pastorais à luz de sua opção preferencial pelos pobres. Assim, procura multiplicar suas ações conscientizadoras, formadoras da opinião pública, segundo os critérios das Sagradas Escrituras, especialmente dos Evangelhos. Recordemos a Pastoral da Terra, o Movimento Fé e Política, a Pastoral Operária, a Comissão de Justiça e Paz, Pastoral da Educação, Campanha da Fraternidade, a Pastoral Social...; bem como a promoção e/ou o apoio das Ações de Moradores, cooperativas de produtores,... Mas, a sua missão social é igualmente forte na linha da promoção humana: Clubes de Mães, Pastoral da Criança, oficinas de corte e costura, pinturas em tela e tecido, bordados, culinárias, manicure, musica, esportes, ...pré vestibular social...
Nessa mesma perspectiva, são incontáveis as iniciativas assistenciais: Conferências Vicentinas, pastorais da Saúde, dos Enfermos, da Sobriedade (com dependentes químicos), da DST-AIDS, da Pessoa Idosa, da Mulher Marginalizada (com pessoas em situação e prostituição), Carcerária, Escritório Jurídico, Movimento Fé e Luz (com pessoas portadoras de cuidados especiais), consultórios médicos e terapêuticos (Apuncultura, Reik, psicoterapia...), hospitais, asilos, orfanatos e creches... Permito-me, em homenagem ao nosso laicato, registar os nossos 146 serviços. E destacar a Pastoral do Acolhimento e Partilha que diariamente serve 300 refeições. Esta no último sábado, Festa de N S Conceição, realizou o Almoço Natalino da Solidariedade para quase 900 empobrecidos, presenteando cada família com cesta básica, às crianças com brinquedos e aos adultos com roupas. Gratidão aos cidadãos e empresas por suas doações.
Tudo isso nos faz perceber, por primeiro, a alegria da solidariedade. Não obstante a fadiga do amor-serviço e o sacrifícioda partilha nesses tempos difíceis de carência financeira e desemprego, os leigos e leigas envolvidos, de uma forma ou de outra na referida Festa Natalina de Solidariedade, transpareciam uma alegria incontida pelo serviço que prestavam e pela convivialidade na fraternura com os pequeninos que aqui estavam. A mesma alegria, esses exalavam. Éramos uma única família que pode rezar de cabeça erguida a Deus a oração do Pai nosso! Guardemos o que nos diz São Paulo: Deus ama quem dá com alegria (2 Cor 9,7).
Mas, a caminhada da missão social ao longo desse ano e, particularmente, na referida festa da solidariedade, nos fez mais angustiados ao compartilhar a dor do crescente número de empobrecidos. Precisamos dispensar a estes uma acolhida mais terna e generosa. E, por eles, abraçar mais decididamente o profetismo joanino que implica denúncia das injustiças e exclusões, a nível das estruturas sócio-econômica-políticas. Já o anuncio profético seja ousado na criação de alternativas que garantam vida com dignidade e justiça para todos. Natal, com todos e por todos!

Medoro, irmão menor-padre pecador


Por Padre Medoro

B01 - 728x90