Numa manhã de domingo

Sábado, 03 de Fevereiro de 2018.

Numa manhã tranquila de domigo,sentei-me num banco da pracinha para ler o jornal. Antes de iniciar a leitura, olhei para cima e, de repente, me vi admirando o caminhar das nuvens brancas naquele céu azul. Pude notar que as grandes nuvens imprimiam maior velocidade, enquanto que as pequeninas trilhavam serenas sem a menor pressa de chegar ao destino ou mesmo se diluírem no infinito. As grandes nuvens, vez por outra, se atropelavam como se estivessem numa competição. Apesar do caminhar bem lento, as nuvenzinhas, enfileiradas, seguiam para enfeitar os céus de outras paragens, o que faziam sem o menor atropelo. As nuvens maiores, de repente, saíram de cena, e, com isto, ficou mais interessante acompanhar a trajetória das pequeninas.
A natureza nos mostra sua beleza em cada canto, porém, muitos vivem tão apressados que chegam a pisar em cima das flores dos canteiros de um jardim para encurtar caminho, deixando para trás tantas rosas e outras flores que ali foram plantadas para embelezar, perfumar e não para serem pisoteadas de maneira brutal pelos insensíveis que habitam nosso planeta. Assim como acompanhei a trajetória das nuvens, pude, naquela mesma praça, ter o desprazer de presenciar tamanha brutalidade.
Ao sair daquela praça fui até a igreja. Depois da missa, vi do lado de fora uma jovem muito bonita e simpática acompanhada de uma senhora, certamente sua mãe ou outra pessoa da família. Estava de óculos escuros. Pelo movimento dos lábios deu para notar tratar-se de uma deficiente visual. As duas ficaram paradas esperando a chegada de um taxi. A moça era alegre, sorridente, se expressava de maneira muito educada e o conteúdo de suas palavras continha muita filosofia. Passou-me a imagem de ser uma pessoa muito sensível, acima de tudo. Quando ela se foi, agradeci a Deus ter me ensinado a enxergar além do seu problema visual, a sua beleza interior.
O ser humano coleciona em sua trajetória de vida um conjunto de muitos encantos e emoções. Por menor que seja, até mesmo um simples gesto mexe com seu imaginário. O importante é analisar cada detalhe. Trilhamos caminhos que nos levam a infinitos horizontes. Precisamos exercitar nossas mentes, nem que seja por poucos minutos.
Se um dia olhar para o céu e ver às nuvens se movimentando, preste bem atenção e notará que as pequeninas se deslocam sem pressa de chegar, enquanto as maiores por serem mais apressadas se atropelam.
Vou ficando por aqui.
Um feliz final de semana para todos

Por Carlos Letra

B01 - 728x90