O Drama Do Sapo

Por Carlos Bernardo González Pecotche (Raumsol)

Quarta, 11 de Setembro de 2019.

Num entardecer, encontrava-se um sapo comendo todo inseto que achava em seu caminho, quando, de repente, ao observar um grande e robusto que andava por ali, pensou: “Está para mim! Vou me servir um lauto banquete!”
E, dando dois ou três saltos, cumprindo sua intenção, quis engoli-lo inteiro; entretanto, como o bicho era maior que sua garganta, engasgou. Em vão fez esforços para tragá-lo, pois o inseto, que tinha um bom ferrão e patas de serra, começou com toda a fúria a espetar-lhe a língua e a machucar-lhe o céu da boca. Mas o sapo, obstinado, não quis largar sua presa e, depois de um desesperado esforço, acabou por engoli-lo. Quase no mesmo instante, viu-se que ele se pôs a fazer movimentos que lhe eram pouco habituais: dava saltos, caía de costas, retorcia-se e revirava os olhos, denotando um sofrimento atroz. Enquanto isso, o bicho continuava ferroando-o por dentro... até que, finalmente, em violentas contorções, o sapo preferiu fazê-lo voltar por onde havia entrado.
O inseto estava intacto e, tão logo se sentiu livre, subiu sobre uma pequena pedra para se secar. Dolorido e mal-humorado, o sapo o olhava com rancor, até que decidiu regressar à sua cova e ficar quieto.

Isso é o que acontece aos que dão cabida em suas mentes a algum pensamento estranho. Depois, custa-lhes livrar-se dele, e, se o conseguem, não deixam por isso de sofrer as consequências de suas terríveis e venenosas alfinetadas.
do livro Intermédio Logosófico, pág.49
• Reuniões Informativas – 3ª ás 18h e 19h; 4ª feiras às 19h;
• Informações – tel. (24) 988421575– 20307080 (noite)
• www.logosofia.org.br –rj-tresrios@logosofia.org.br

–LOGOSOFIA NO YOU TUBE –
Os inimigos que temos por dentro.
https://www.youtube.com/watch?v=vmwBdKWce-I&t=42s

Por Logosofia

B01 - 728x90