O Futuro da Cultura

Sábado, 30 de Setembro de 2017.

O Futuro da Cultura

Quais são os grupos que preservam manifestações ou expressões tradicionais
em nossa cidade? Qual é a situação socioeconômica desses grupos? Existe relação entre a situação sócio econômica desses grupos e a manutenção dessas manifestações? Como o poder público pode apoiar para que essas manifestações não acabem.
Quando estávamos preparando o diagnóstico para elaborar o Plano Municipal de Cultural tivemos dificuldade para identificar as manifestações oriundas da nossa cidade.Sabemos que nos anos 60,ainda existiamno nosso município os calangueiros que foram considerados um dos mais importantes do Brasil. Calango é uma tradição artística poética do Brasil rural onde os grupos cantam desafios em versos improvisados tendo a sanfona como instrumento principal.
Essa tradição remonta do período da Estrada Real em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, difundida pelos tropeiros que carregavam café.
Porque perdemos essa tradição? Essa é uma discussão que teremos de ter tempo e espaço para questionar, mas sabemos que éoriunda da nossa região, assim como, outras de expressão nacional como a Folia de Reis, considerada patrimônio imaterial do Brasil em 2017, muito forte no Estado do Rio de Janeiro, o Jongo,a Capoeira, entre outras.
Essas questões acima nos leva a refletir sobre como é importante para a nossa identidade resgatar todas essas manifestações. Um conceito fundamental para essa discussão é o multiculturalismo, que reconhece que em um mesmo território existe variados e desiguais modo de viver de grupos. Esses vários modos devem ser vistos como manifestações diversas e diferentes e não podem ser hierarquizadas como “culturas superiores” ou “culturas inferiores”
Portanto, hoje torna-se cada vez mais urgente identificar, apoiar e divulgar essas tradições culturais. Elas fazem a diferença em cidades onde são preservadas e cultivadas. Podemos afirmar que cada vez mais, nesses tempos de massificação cultural,onde as manifestações culturais tradicionais são fortes a cultura e o turismo fazem a diferença.
No dia 16 de outubro, serão empossados os novos conselheiros do Conselho Municipal de Política Cultural, são 13 representantes da sociedade civil e 13 representantes do poder público e seus respectivos suplentes. Num total de 52 conselheiros que estarão juntos acompanhando o nosso Plano Municipal de Cultural que estabelece políticas culturais para os próximos anos, no nosso caso, para os próximos nove anos, já que o PMC foi aprovado no final do ano passado. E como não poderia deixar de ser é um universo multicultural composto por 13 segmentos culturais, com seus representantes eleitos e estarão juntos, nessa importante missão considerada de relevância cultural. No Plano Municipal de Cultura no EixoTemático Produção Simbólica e Diversidade Cultural a estratégia estabelecida é pesquisar, reconhecer, valorizar e divulgar a história de Três Rios, bem como a diversidade das expressões culturais em todo o município, através de programas de apoio à criação, produção, preservação, o intercambio e a fruição dos bens artísticos e culturais. E ainda a estratégia de proteger e valorizar o patrimônio cultural de Três Rios, móvel e imóvel, material e imaterial.

Vera Alves Pereira
Presidente do conselho Municipal de Política Cultural

Por Conselho Municipal de Cultura

Crédito da Foto: Rogerio Carneiro

B01 - 728x90