Pegadinhas de 1º de abril e efeitos de jogadas de Marketing

Sábado, 30 de Março de 2019.

Primeiro de abril chegando, e os heavy-users de tecnologia seguem ansiosos pelas pegadinhas das grandes empresas neste período: é que, no dia da mentira, frequentemente companhias como Google, Netflix e Sony aderem às brincadeiras da época, lançando produtos falsos e divertidos para interagir com o público, gerando muitas risadas – e também algumas confusões. Invenções como tablet e fones de ouvidos para gatos, avião comercial de vidro, pizza em lata, cama em formato de smartphone (PhoneBed), armadura do Homem de Ferro e até curso de tecelagem de cestos embaixo d’água circulam pela web, pregando peça em milhares de desavisados.
Apesar do frisson com a data, entretanto, internautas podem esperar menos adesões este ano: a Microsoft, por exemplo, proibiu seus funcionários de participarem do jogo: de acordo com comunicado interno do seu chefe de Marketing, Chris Capossela, “devido ao seu impacto positivo limitado, que pode resultar em ciclo de notícias indesejado”, a recomendação é se abster de ‘comemorar’ a data.
Analisando a posição do dirigente, de fato, temos de reconhecer que algumas dessas brincadeiras já saíram do tom: como a vez em que o Google teve de vir a público pedir desculpas por inserir gifs de personagens do filme Meu Malvado Favorito dentro do Gmail. Na época, muitos reclamaram que enviaram, sem querer, sticks em conversas sérias, como de trabalho, e alguns inclusive relataram ter perdido o emprego por essa razão.
Exagero ou o Google realmente errou a mão? Depende do ponto de vista. Jogadas de marketing e publicidade podem ser promissoras ou não, a depender da temática, da estratégia e do momento. Cabe a cada equipe analisar, de maneira prática, seus efeitos.
Uma loja, por exemplo, vem se destacando e aumentou significativamente suas vendas ao criar postagens supostamente depreciativas para seus produtos. Um risco? Sem dúvida. Mas deu certo. Como o vídeo viral da Betina, a jovem que tem mais de um milhão de reais na conta e se propõe a ensinar como chegar lá. Em que pese a chuva de críticas – com toda razão – e as várias notificações de órgãos como o Conar, a Empiricus, empresa responsável pela divulgação, conta que sua carta de clientes está melhor do que nunca.
Bom? Ruim? Sem entrar nos méritos da iniciativa, a equipe de Marketing está satisfeita. Se o desejo é impulsionar meus produtos à custa mesmo da imagem da instituição, a escolha é minha. As consequências a curto, médio e longo prazo, também. Por isso a importância de refletir sobre cada ação realizada.
Que o nosso 1º de abril seja repleto de risadas, mas também de ética, respeito e equilíbrio.
#BOMFIMDESEMANA!


Por Daniele Barizon

B01 - 728x90