#PrayForAmazonia

Sábado, 31 de Agosto de 2019.

#PrayForAmazonia

Os usuários habituais do Twitter devem ter acompanhado, recentemente, a mobilização da hashtag #PrayForAmazonia (reze pela Amazônia). Entre os dias 20 e 23 de agosto, segundo a DAPP-FGV (Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas), discussões sobre problemas que envolvem nossa floresta foram tuitadas por mais de 150 nações, resultando em cerca de 15 milhões de referências em português, inglês, francês e espanhol.
O que chama a atenção dos pesquisadores, no entanto, é o fato de o Brasil não ser o país que mais comentou sobre o assunto, e sim os Estados Unidos. Isso se explica, conforme os especialistas, porque os norte-americanos têm uma atividade mais intensa nas redes sociais. Por fim, uma tag que viralizou ter sido utilizada em inglês facilita e muito a internacionalização do tema. Sobretudo na rede social de caracteres limitados.
O Twitter, como sabemos, não é a plataforma mais popular entre os SNSs (Social Network Sites), embora seja campeã em fomentar debates e manifestações políticas e de protesto, seja em território nacional ou além-fronteiras. O que é extremamente positivo, pois além de direcionar os holofotes para questões que necessitam ser discutidas, como a preservação do meio ambiente e da biodiversidade, alia grupos com interesses em comum e auxilia a pressionar autoridades por respostas.
No que diz respeito à Amazônia, o grito não ecoa apenas por terras tupiniquins, mas pelo mundo inteiro. O planeta clama por solução. Não estamos sós. Nem se trata de “ativismo de pijama”. Estamos lutando com apoio das ferramentas tecnológicas – e vamos continuar.
#VAMOSJUNTOS #BOMFIMDESEMANA

Por Daniele Barizon

B01 - 728x90