Precisamos falar sobre ABORTO (masculino e feminino)!

Sexta, 17 de Agosto de 2018.

Para Natália, Ane Carine, Giovanna, Nilma Danilo Santos e Cristiane Correa com toda disposição à luta!

HOMENS TAMBÉM ABORTAM. Obviamente estamos usando de uma metáfora para indicar o processo de abandono paterno. Aborto é prerrogativa feminina. Deveria estar disponível para aquelas mulheres que desejassem interromper a gravidez por variados motivos, como ocorre em muitos países do mundo, incluindo alguns com forte presença religiosa como Portugal, Irlanda e Itália.
Existem no Brasil 5,5 milhões de crianças de 0 a 12 anos que não possuem nome do pai na certidão de nascimento segundo o censo 2011. Esses dados foram obtidos a partir de cadastro escolar. Ou seja, ainda existem muito mais crianças sem registro paterno, uma vez que creches (0 a 3 anos) tem cobertura muito restrita no país. Assim, não havia como Conselho Nacional de Justiça incluir essas crianças fora do sistema escolar na conta dos 5,5 milhões. Se contarmos pessoas maiores de 12 anos que não possuem registro paterno esse número aumenta. Esses homens já realizaram esse aborto, mesmo que seus filhos tenham nascido.
Como afirmou Promotor de Justiça de São Bernardo do Campo –SP Maximiliano Roberto Fuhrer “o abandono paterno precisa ser olhado com mais atenção. Vivemos uma epidemia social de abandono paterno” (https://universa.uol.com.br/ noticias/redacao/2018/04/10/vivemos-uma-epidemia-social-de-abandono-paterno-diz-promotor.htm). Assim, podemos dizer sem medo de errar: HOMENS TAMBÉM ABORTAM!
O promotor Maximiliano Fuhrer fez uma revelação emocionante. Afirmou que de início via a atuação de sua equipe como forma de garantir bem estar material mínimo as crianças via pagamento de pensões. Contudo, o promotor Maximiliano notou que estava diante de outra questão mais ampla. Ter o reconhecimento paterno no registro tem uma dimensão histórica. Assim, afirma que:
“acredito que o reconhecimento paterno faz parte da nossa construção social. A falta do pai é um fantasma que acompanha a pessoa por toda a vida. Afinal, é uma fração de humanidade que está sendo negada ao indivíduo...” (https://universa.uol.com.br/ noticias/redacao/2018/04/10/vivemos-uma-epidemia-social-de-abandono-paterno-diz-promotor.htm?)
Homens não abortam apenas quando não reconhecem. Abortam também quando não são presentes! Abandono paterno ocorre mesmo quando há reconhecimento e pagamento de pensão. Quando apenas pagam a pensão e POUCAS VEZES (OU NUNCA) foram buscar no colégio. Nunca (ou poucas vezes) seguraram a mão da criança num escorregador ou balanço de parque infantil. Nunca (ou poucas vezes) agüentaram manha, pirraça, demonstração de egoísmo ou choro de criança (algo que faz parte de seu processo de amadurecimento). Para chamarem atenção à diversos aspectos da vida de uma criança! HOMENS TAMBÉM ABORTAM!
Já ouviram essa frase de um homem ao ser perguntado quantos filhos têm: “que eu sabia x filhos”! Isso quer dizer que existem chances de ter filhos pelo mundo. Geralmente essa frase é dita seguida de um sorriso. Como se fosse algo a vangloriar-se! HOMENS TAMBÉM ABORTAM.
Por isso, poucas expressões são mais machistas que “MÃE SOLTEIRA”. Para cada mãe solteira do mundo existe um HOMEM (ou moleque na verdade) NEGLIGENTE. Para cada criança (ou pessoa em qualquer idade) que não se relaciona com seu pai, existe um adulto homem que age como um moleque. Todos nós conhecemos ou sabemos de casos de homens que abortaram- NÃO ASSUMEM SEUS FILHOS. Esses sofrem alguma penalidade? Alguém tem algum amigo ou parente que abandonou um filho? Deixa de ser amigo dele por isso? Por isso, HOMENS TAMBÉM ABORTAM!

Marcelo Paula de Melo é doutor em Serviço Social (UFRJ) e professor da EEFD-UFRJ

Por Marcelo Melo

B01 - 728x90