ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ÚLTIMAS

Profissão Trabalho – Parte VI

Sábado, 30 de Maio de 2020.

Atualizado em Sexta, 29 de Maio de 2020 às 17:47 horas.

  Profissão Trabalho – Parte VI

Ao longo da existência o trabalho tem se mostrado algo primordial, na verdade tudo no universo é um grande trabalho que se encontra em constante movimento e transformação, desde as coisas simples da vida até as que nos parecem mais complexas. Tudo está em uma enorme sinergia e tem o seu sentido. Cada árvore, cada planta, cada animal, “cada animal racional humano”, cada forma de vida está em um eterno processo de trabalho para se manter vivo. Cada respiração já envolve uma enorme complexidade. Em um mundo tão complexo como o nosso e com diversas vertentes podemos perceber que: “nascemos nus e nos vestimos de informações”. Se encaixar no quebra-cabeça da vida que sempre se transforma exige talento, sabedoria, serenidade, perspicácia, eficácia e bom senso,coisas que não estão necessariamente atreladas ao senso comum. A vida é um tabuleiro em constante movimento. Algumas pessoas estão sempre que possível procrastinando. Não é sensato ter a vida de um garoto que gosta de pintar, mas que não consegue terminar os seus desenhos. A preguiça e a falta de esforço pintam um ser menosevoluído e mais medíocre. Não é inteligente ser um menino que não transforma os seus rascunhos em arte final e que vive no fundo do poço de um esboço.Ser um bom arquiteto de si mesmo não é fácil, porém beneficia um retrato próprio e alheio de qualidade e solidariedade. O querer é tão importante quanto o aprender e o fazer. Os que não lutam por alguma coisa são vencidos mais facilmente por qualquer coisa que venha a surgir. “Utilizar bem os talentos e os diferentes tipos de inteligências e habilidades em prol de si mesmo e do contexto é uma mão na roda para atingir um alto nível”.
Existe uma série de competências intrapessoais/interiores e interpessoais/exteriores, quando essas são bem percebidas, compreendidas e desenvolvidas findam em uma empresa e colaboradores de alto nível.No diálogo do indivíduo com os variados tipos de competências se faz necessário o incentivo positivo produtivo e atenção nos detalhes, mesmo nos pequenos, pois as “pequenas coisas” contam para a existência da excelência. O tom do diálogo é tão importante quanto a voz e as palavras, o mesmo pode levar a um estado precário ou ao contrário, pode fechar ou abrir portas.
Uma coisa que se destaca por sua importância, mas que muitos não se atentam é a respeito das informações que recebemos ou que buscamos. Quem não se alimenta bem não produz bem, cuidado com o que te servem e com o que busca como alimento, nem sempre os alimentos oferecidos ou colhidos lhe servirão bem. Os alimentos tóxicos adoecem a mente e o corpo como um todo.
Uma empresa e/ou instituição de alto nível e um trabalhador de excelência sabem fazer bom uso da persistência produtiva e positiva que por sinal em nada se assemelha a insistência negativa improdutiva que limita e que empobrece e definha.
É preciso colocar a mente para trabalhar para saber o que se quer na vida e na vida laboral, tendo isso em mente após uma análise de qualidade se pode passar para o passo seguinte que é traçar um plano de ação que corresponda às expectativas, contudo, se corre o risco de deixar a desejar caso não exista um processo de avaliação de desempenho e de constante busca por melhorias. É inteligente ter “metas” bem definidas e trabalhar com comprometimento e engajamento, algo que pode levar a “transcender” durante todo o processo.Ter as metas no “radar” é essencial para que as mesmas não fujam de vista e para não ser pego de surpresa com as adversidades. Utilizar bem as ferramentas existentes em favor próprioe em prol das metas desejadas se assemelha a utilizar as chaves corretas do chaveiro para abrir as portas. De nada adianta uma caneta que não consegue escrever, assim como de nada vale ter mil canetas e folhas se não se consegue utilizá-las de forma eficaz.
Uma empresa e/ou instituição e um colaborador de talento e propriedade,não negociam com a preguiça, com a zona de conforto e tão pouco com a procrastinação, mas abraçam o comprometimento e o engajamento. Porque engajamento? Porque sem a existência do mesmo, a motivação, visão, eficácia, disciplina, desempenho, produtividade, gestão de tempo, fazer mais com menos, foco e outros conceitos muito difundidos, desejados e buscados, mas que, frequentemente não são alcançados pelos colaboradores e pelos empregadores acabam caindo por terra sem que os tão almejados RESULTADOS sejam alcançados. Se por um lado ter FOCO e OBJETIVOS bem definidos traz uma série de benefícios,o FOCO NOS RESULTADOS se torna obsoleto e inútil, sem que se exista o engajamento e sem que o mesmo seja trabalhado com sabedoria, pois o resultado é consequência da aplicação do nosso desempenho. Quanto mais dedicação e qualidade no desempenho melhores serão os resultados. Logo, o contrário é verdadeiro. As mais brilhantes empresas e empregadores, e as mais fascinantes pessoas de forma geral apresentam um comportamento de “pleno engajamento”. As empresas são constituídas por pessoas, se as pessoas não estiverem engajadas os resultados negativos logo irão aparecer e trazer uma série de anomalias.
O engajamento é a resposta para muitos questionamentos: o foco, a resiliência, a superação, a motivação, a maestria, o desenvolvimento, a ética... Não existe pleno desempenho sem pleno engajamento. Vale a pena ressaltar que trabalhar demais não é sinônimo de engajamento. Buscar, se dedicar, e engajar-se, não significa que o indivíduo deve tornar-se egoísta, certas pessoas querem alcançar melhores níveisfinanceiros, intelectuais, laborais e sociais,e a felicidade, sem sequer se preocupar com as pessoas que estão ao seu redor, chegam a não se importar com os amigos, com os familiares e a olhar para os amigos de trabalho como competidores, tentando se destacar e não ajudando aos seus semelhantes, em certos casos,os prejudicando sem se dar conta de que, na roda gigante da vida sempre existirá espaço para o lamentar dos egoístas. A vida faz menos sentido quando nos tornamos competidores implacáveis e quando nos intoxicamos com a falta de consideração e amor ao próximo. O sentido da vida é variável para muitas pessoas, mas com certeza tornar-se uma anomalia e um sabotador de sua melhor versão e do bem alheio é meio caminho andando para um,“de cara com o muro no caminho escuro”, onde os vampiros sugadores encontram-se condenados a viver em um constante exílio da luz. Empregadores e colaboradores tóxicos são capazes de prejudicar de forma significativa o trabalho em equipe e o andamento do time de forma geral. Vale nos questionarmos se fazemos o que fazemos para nos tornarmos pessoas melhores ou se fazemos, e nesse processo acabamos por nos tornar carrascos. Ser carrasco pode estar muito ligado ao trabalho em questão, mas também pode estar ligado com a própria personalidade da pessoa, contudo, existe a possibilidade de progredir, amadurecer e melhorar,ao enxergar e utilizar as raízes da sabedoria, do bom senso e da razão. Seja forte e corajoso. Não se apavore nem desanime.

Por Jhean Garcia