ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ÚLTIMAS

Profissão Trabalho - Parte VIII

Sábado, 27 de Junho de 2020.

  Profissão Trabalho -  Parte VIII O quanto você está preparado para lidar com as adversidades e para superá-las? Quando o pneu do seu carro fura você desiste da viagem ou troca o pneu para prosseguir? Quando o seu carro quebra você o joga fora, tenta consertá-lo ou o leva para o mecânico? Se estivesse em uma embarcação em alto mar e a mesma apresentasse alguma anomalia, você desistiria da embarcação e seguiria a nado ou buscaria formas de dar prosseguimento a viagem, mesmo que isso incluísse um pedido de ajuda? Acredito que tudo depende do texto e do contexto, mas de modo geral muitas pessoas preferem seguir os caminhos mais fáceis, mesmo que isso represente desistir de objetivos construtivos, positivos e significativos para as suas vidas e dos que os cercam. Transformar o negativo em positivo produtivo, envolve estar à frente das adversidades e abraçar as raízes da resiliência.
O Equilíbrio entre a razão e a emoção se assemelha a um avião, quando uma das asas apresenta alguma anomalia compromete toda a capacidade de voo da aeronave. A vida é um eterno ciclo de escolhas e de caminhadas em algumas direções. A vida é um abrir e fechar de portas. É viável e sensato escolher com sabedoria quais portas se irá abrir e fechar. Nadar no mar das crenças limitantes é mergulhar em direção ao abismo profundo que afoga, fadiga e cega as visões de novas direções e estações.
Não é de grande valia conviver entre os de má fé, maldosos e insensatos, os mesmos estão sempre atentos e a espreita como raposas, ficam no aguardo dos passos dos de boa fé, prontos para atacar e sugar o que há de melhor. Saiba guardar os seus pensamentos e ações para utilizá-los nos momentos mais oportunos, da forma correta e com sabedoria.
Você já parou para pensar como anda o seu relacionamento intrapessoal? E o seu relacionamento interpessoal em que pé anda? Você já se perguntou se se sente feliz com a sua vida e com o seu modo de vida? O que é a felicidade é algo muito abrangente e subjetivo, mas existe uma série de pistas para saber se nos sentimos bem com o nosso modo de vida e de pensar ou se estamos deixando muito a desejar. Você já se perguntou como poderia se fazer feliz e a outras pessoas no dia de hoje? Lembre-se que as melhores respostas se encontram nas melhores perguntas e que o amor a si mesmo, ao divino, aos seus semelhantes e ao mundo que o cerca e que o inunda, são as raízes mais profundas de sabedoria e de bem-estar.
Saber questionar o que te cerca e o que te inunda é como garantir um seguro de vida, contudo, existem momentos para se questionar, momentos para descansar e momentos para se deixar levar. É preciso enxergar além do que se vê para que se possa ampliar os conhecimentos e o que se percebe. Enxergar melhor é se tornar um indivíduo de visão. Enxergar melhor é bem mais do que simplesmente ver. Todo homem é o alquimista de si mesmo em busca de respostas. Os questionamentos quando são sem sentido, vazios e tóxicos beiram ao abismo, mas quando são positivos, produtivos e construtivos são capazes de abrir as portas das prisões, de construir castelos, e de quebrar correntes.
Trabalhar não é necessariamente ligado a ser algo na vida e/ou alguém importante. Todos os indivíduos são alguém na vida e importam. O sentido de trabalhar está muito ligado a proporcionar um mundo melhor para si e para os outros. Não somos anões da existência nem gigantes do universo. Nem tudo é dinheiro, na verdade tudo é muito mais do que dinheiro. É um princípio de sabedoria rever e compreender os sentidos dos valores. Mais importante do que o trabalho é o quanto ele importa para você, o quanto ele representa para você, o quanto ele exporta de você e o quanto ele é capaz de te transformar e de transformar. Um trabalho que transforma de dentro para fora transcende ao que molda e aprisiona. Existem pessoas que preferem viver de aparências do que viver experiências.Há pessoas que vivem em seus próprios casulos e residem em suas caixas,que não se abrem à novas experiências por medo de perder o que lhe parecem seguro e estável, essas acabam por abrir mão de sua autenticidade para seguir modelos prontos, respostas prontas e seguir o sistema que as cercam.Buscar ser quem se almeja e a melhor versão de si mesmo é o melhor caminho. Só se tem uma vida nessa existência, todas as outras já possuem os seus senhores. O tempo corre e a vida escorre pelos passos.É inteligente colocar todas as coisas na balança da vida e se certificar das medidas e do eixo da balança. Algumas pessoas se perdem sem ao menos terem buscado se encontrar.
O peso de não se sentir leve é pesado demais... Somos e não somos engrenagens em uma máquina, acima de tudo somos organismos vivos, pensantes, capazes de sentir e de refletir os significados e propósitos da existência e da sobrevivência. Não ser miserável consigo mesmo e com os semelhantes é um passo a mais na direção contrária do desprezível repugnante. Quando nos tornamos pessoas egoístas, mesquinhas, sem educação, miseráveis e arrogantes, refletimos o abismo e a escuridão que existe na figura humana. Poucas coisas são tão tóxicas e abomináveis quanto viver na ofensiva de um carrasco, ou viver na defensiva de um ser dessa categoria. A figura humana possui seus anjos e demônios, a luz e as trevas, o amor e o terror. Em qual solo você tem trilhado os seus caminhos? Em quais águas você tem se banhado? Que tipo de mão você tem estendido aos seus semelhantes, a mão do irmão amigo ou a mão do carrasco no abismo? O abismo produz distanciamento e separação da melhor versão e aproxima dos caminhos íngremes de contradição e de destruição. Cabe a cada um se tornar um devorador e torturador sanguinário de si mesmo e dos seus semelhantes ou um indivíduo generoso que não se banha no enxofre que acorrenta a existência até no além tempo. Cabe a cada um escolher entre se tornar um pacificador que reproduz o bem ou o canibal de si mesmo e do bem alheio. Entre a salvação e a iluminação ou entre a perdição e a escuridão. Em qualquer uma das duas opções existirão consequências existenciais na roda gigante da vida. No jogo da vida e no além do que podemos ver como humanos existenciais, não existem desculpas ou respostas prontas, todos pagamos por nossos erros e recebemos por nossos acertos.
Todo homem nasce mais livre e menos preso às amarras sociais até crescer e se tornar alienado, oprimido, aprisionado pelo sistema ou por si mesmo. É claro que o mundo não precisa ser visto como uma eterna prisão se existem os caminhos das ações libertadoras. Mas até que se tome consciência dos aprisionamentos sociais e que sejam realizadas alterações nos cenários a tendência é viver no modo automático e possuir padrões ditos normais. Conviver em sociedade e se comunicar é primordial para a existência e sobrevivência do ser social, mas se prender às amarras das alienações exigem processos de desconstruções para que existam libertações.Somente as raízes do conhecimento, da sabedoria, da educação e da reflexão podem ajudar o homem a se desacorrentar e libertar. Seja forte e corajoso. Não se apavore nem desanime.

Por Jhean Garcia