Qual a sua religião?

Quinta, 30 de Agosto de 2018.

Não sei se alguma vez você foi abordado com a seguinte pergunta: qual a sua religião? Já te fizeram essa pergunta? Mas, por que será que algumas pessoas se preocupam com isso? O interessante é que quem se preocupou em pregar a salvação e o arrependimento foi Jesus. Ele não veio ao mundo em pregar religião ou mesmo uma denominação. Jesus se fez homem, andou entre os mais humildes e excluídos da sociedade e até mesmo da lei dos homens. Quem nunca ouviu sobre Zaqueu o republicano e sobre a mulher adúltera e o momento em que todos a estavam condenando e Jesus disse: “aquele que não tem nenhum pecado que atire a primeira pedra”? Tudo o que Ele queria era que os homens procurassem seguir os mandamentos e se arrependessem dos seus pecados. Hoje, dificilmente ouvimos pregarem sobre arrependimento, a volta de Cristo. Hoje, muitos só falam das vantagens materiais de aceitar a Cristo, de prosperidade, de cura e de uma vida material repleta de realizações. Mas, se seguir a Cristo se resumisse nisso, por que Ele se sujeitaria a vir ao mundo de uma forma simples? Ele pregou a simplicidade, o amor. Constatamos isso quando lemos: Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos (Mateus 20.28). E o que faz com que a maioria das pessoas queira ser servida a ponto de achar que salvação é não ter crise financeira, é não passar por enfermidades ou tristeza. Afinal, a riqueza e a felicidade pregadas por Jesus não se baseiam nesse mundo competitivo e passageiro. Ele disse: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui. (João 18:36) Seria pensar muito pouco do poder de Deus se basearmos a paz, a felicidade e acima de tudo a salvação nessa vida de lutas, de tanta corrupção que nos faz ficar cada vez mais decepcionados. Que busquemos sair de dentro das paredes dos templos, deixando o conforto que cada vez mais tem sido orgulho de muitos e voltemos ao verdadeiro sentido da vinda de Jesus que era que a sua palavra fosse pregada a todos e que de nada vale ficar dentro da sua congregação falando uns para os outros, repetindo sempre as mesmas coisas ou mesmo fazendo lindos programas e apresentando lindas músicas e grupos musicais. Ele quer que a sua palavra seja propagada e vidas sejam resgatadas. Se todos fizerem isso, ninguém precisará se preocupar em perguntar: qual é a sua religião?


Por Suzane Ferreira

B01 - 728x90