Quanto vale sua vida?

Quinta, 03 de Maio de 2018.

Quanto você acha que vale a sua vida? Faço essa pergunta porque o que mais tenho visto no trânsito são pessoas com tanta presa que não pensam o quanto colocam a vida em risco por causa disso. Essa semana vi um profissional de entregas e um mototaxi acelerarem em uma rotatória enquanto sabiam que deveriam parar e esperar os carros que tinham preferência.

Fiquei tão espantada com a atitude deles que minha primeira reação foi apertar bem forte a buzina do carro. Depois fiquei me perguntando: será que o serviço deles vale colocar a própria vida em risco, será que perder algo tão importante justifica fazer uma entrega? Tem momentos que deixamos que nossos impulsos superem a razão. Quantas vezes agimos de forma errada a ponto de colocar nossa vida em risco e não nos damos conta de que isso pode ser fatal?

Atravessar uma rua com o sinal fechado para pedestres ou mesmo atravessar sem prestar atenção porque está envolvido com o celular? Sabe fico pensando quantas vezes somos imprudentes com nossa vida, o quanto a colocamos em risco por coisas bobas e sem necessidade. Certa vez um jovem que dizia não ter medo de nada porque sabia que Deus o guardava e protegia. Só que ele se esquecia de fazer a parte dele que era ser prudente, não por a vida em risco. Sempre ele se gabava por ser protegido e confiar em Deus.

Só que como de costume ele não zelava pela própria vida. Um dia o jovem saiu para passear de bicicleta e como sempre, colocou toda a proteção indicada para andar de bicicleta: roupa adequada, capacete, óculos... Só que ele também colocou algo que não está na lista de segurança para um ciclista. Ele pegou o celular, colocou o fone e colocou no último volume e saiu pedalando pela estrada. Ele amava pedalar ouvindo música.

Mas com isso, ele se distraia e não ficava atento ao que estava acontecendo e muito menos conseguia ouvir nem um som de buzina ou alerta. E foi o que aconteceu. Um caminhão em alta velocidade estava desgovernado e ao ver que não estava conseguindo dominar o veículo o caminhoneiro começou a buzinar forte e incessantemente. Só que o ciclista não conseguiu ouvir e infelizmente foi atropelado.

Após ficar dias desacordado, quanto retomou a consciência, sua primeira atitude foi brigar com Deus e dizer que não iria mais confiar Nele. Afinal de que valeu ele dizer que confiava Nele e mesmo assim não foi livrado daquele terrível acidente que o deixou paraplégico. Respondeu Deus: Eu faço o impossível, mas cada um deve fazer sua parte e você não confiava em mim. Você brincava e colocou em risco sua vida por não valorizá-la.

Mas mesmo assim eu te poupei. Você tampou sua audição quando saiu para pedalar com o fone no ouvido. Mas você se lembra de que por isso não ouviu o som da buzina incessante do caminhoneiro? E vou te contar uma coisa, o caminhão estava sem freio e sem buzina também. Foi um milagre a buzina ter tocado e foi por isso que várias pessoas começaram a sinalizar para você quando perceberam que não estava ouvindo a buzina do caminhão e assim você teve tempo de reagir e sair da estrada. Fui eu que salvei a sua vida.

Por Suzane Ferreira

B01 - 728x90