Raízes da Música Brasileira – Parte II: A Modinha

Sábado, 02 de Fevereiro de 2019.

Raízes da Música Brasileira – Parte II: A Modinha

Nos fins do século XVIII, em Portugal, a palavra “moda” era usada, genericamente, para designar qualquer música cantada, desde árias de ópera a cantigas de salão. Essa música vocal de salão, presente na corte da rainha Maria I possuía formalidade erudita, com forte influência da música italiana.
Ao chegar ao Brasil, por volta de 1770, esta canção cortesã adquire traços eminentemente brasileiros, dando origem à um novo estilo: a “modinha”. Não se sabe ao certo a origem do nome no diminutivo, entretanto, acredita-se que assim a apelidaram pela sua leveza e simplicidade musical, e pelas letras de caráter sentimental ou jocoso.
A modinha é, sem dúvidas, de origem brasileira, nascida de pena do padre, poeta, compositor, cantor e instrumentista Domingos Caldas Barbosa (c.1740-1800, imagem). Filho de um comerciante português com uma negra liberta de origem angolana, Caldas Barbosa nasceu no Rio de Janeiro e, ainda jovem, foi entregue pelos pais aos jesuítas para que recebesse boa formação acadêmica. Destacou-se desde cedo pelas suas poesias. Pouco se sabe sobre sua formação musical, entretanto, acredita-se que, apesar de conhecer música, não possuía profundo domínio da arte. Em 1770 deixou o Brasil rumo a Portugal. Na metrópole, passa a gozar da proteção dos irmãos do vice-rei, o que lhe garantiu acesso às altas rodas sociais, as quais impressionavam com as melodias exóticas de suas modinhas e lundus cantados ao som da viola. Foi nos trabalhos de Caldas Barbosa onde os pesquisadores encontraram pela primeira vez o registro da designação “modinha”.
A modinha foi o primeiro gênero de música popular brasileiro divulgado fora do país, há mais de 250 anos, e esteve em voga até o início do século XX.

Por Vinícius Pereira

B01 - 728x90