ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ÚLTIMAS

Refletindo nossas origens em momentos de transição planetária na perspectiva da Doutrina Espírita

Sábado, 07 de Novembro de 2020.

  Na questão 43 do Livro dos Espíritos, Kardec pergunta: Quando começou a Terra a ser povoada? Ao que os Espíritos responderam: “No começo tudo era caos; os elementos estavam em confusão. Pouco a pouco cada coisa tomou o seu lugar. Apareceram então os seres vivos apropriados ao estado do globo”. Então, Kardec pergunta na questão 44: Donde vieram para a Terra os seres vivos? Eles responderam: “A Terra lhes continha os germes, que aguardavam momento favorável para se desenvolverem. Os princípios orgânicos se congregaram, desde que cessou a atuação da força que os mantinha afastados, e formaram os germes de todos os seres vivos. Estes germes permaneceram em estado latente de inércia, como a crisálida e as sementes das plantas, até o momento próprio ao surto de cada espécie. Os seres de cada uma se reuniram, então, e se multiplicaram”.
Na questão 45, Kardec pergunta: Onde estavam os elementos orgânicos, antes da formação da Terra? “Achavam-se, por assim dizer, em estado fluido no Espaço, no meio dos Espíritos, ou em outros planetas, à espera da criação da Terra para começarem existência nova em novo globo”; responderam os Espíritos. E continuaram: “A Química nos mostra as moléculas dos corpos inorgânicos unindo-se para formar cristais de uma regularidade constante, conforme cada espécie. desde que se encontrem nas condições precisas. A menor perturbação nestas condições basta para impedir a reunião dos elementos, ou, pelo menos, para obstar à disposição regular que constitui o cristal. Por que não se daria o mesmo com os elementos orgânicos? Durante anos se conservam germes de plantas e de animais, que não se desenvolvem senão a certa temperatura e em meio apropriado. Têm-se visto grãos de trigo germinarem depois de séculos. Há, pois, nesses germes um produto latente de vitalidade, que apenas espera a circunstância favorável para se desenvolver. O que diariamente ocorre debaixo das nossas vistas, por que não pode ter ocorrido desde a origem do globo terráqueo? A formação dos seres vivos, saindo eles do caos pela força da mesma Natureza, diminui de alguma coisa a grandeza de Deus? Longe disso: corresponde melhor a ideia que fazemos do seu poder a se exercer sobre a infinidade dos mundos por meio de leis eternas. Esta teoria não resolve, é verdade, a questão da origem dos elementos vitais; mas Deus tem seus mistérios e pôs limites às nossas investigações”.
Mais à frente, na questão 46, Kardec pergunta: Ainda há seres que nasçam espontaneamente? Eles respondem: “Sim, mas o germe primitivo já existia em estado latente. Sois todos os dias testemunhas desse fenômeno. Os tecidos do corpo humano e do dos animais não encerram os germes de uma multidão de vermes que só esperam, para desabrochar, a fermentação pútrida que lhes é necessária à existência? É um mundo minúsculo que dormia e se cria”. E na questão 47, Kardec pergunta: A espécie humana se encontrava entre os elementos orgânicos contidos no globo terrestre? Eles prontamente respondem: “Sim, e veio a seu tempo. Foi o que deu lugar a que se dissesse que o homem se formou do limo da terra”.
Toda essa narrativa está sendo colocada para que reconheçamos a nossa pequenez,pois, no universo existem 2 trilhões de galáxias. Apenas a Via Láctea, onde a Terra está localizada, tem 600 bilhões de sóis, 6 trilhões de planetas. Todos esses mundos são habitados por seres apropriados à constituição física de cada globo que, entre os habitantes desses mundos, uns são mais, outros menos adiantados que nós do ponto de vista intelectual, moral e mesmo físico. Razão para nos darmos conta do tempo desperdiçado ao depositar toda nossa energia e empregar nosso rico campo vibracional em questões efêmeras da vida;quando de fato deveríamos nos apresentar disponíveis para colaborar com o Plano Superior através da emanação de pensamentos, palavras e atitudes que elevem e contribuam para com a transformação da atmosfera psíquica da Terra, já em pleno processo de transição evolutiva. Nesse sentido, o período pré-eleitoral é deveras fecundo para embates político-ideológicos, campo minado, perigoso, areia movediça,que devemos evitar emitir juízo de valor, sob pena de nos aturdir a ponto de perdermos a própria identidade.

Por Dr. Willian Machado