ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ÚLTIMAS

Semana pela Proteção do Planeta

Quarta, 20 de Maio de 2020.

  Semana pela Proteção do Planeta “Renovo o meu chamado urgente por uma resposta à crise ecológica. O grito da terra e o grito dos pobres não aguentam mais”, declarou o Santo Padre em sua convocação à “Semana pela proteção do planeta”, que estamos celebrando nesses dias, de 16 a 24 de maio de 2020. “Que tipo de mundo queremos deixar para aqueles que nos sucedem, as crianças que estão crescendo? Motivado por essa pergunta, gostaria de convidá-los a participar da “Semana Laudato Si'”, afirmou o Pontífice na mensagem convocatória.

A “Semana ‘Laudato Si’” é uma iniciativa concreta para que a Igreja, em suas paróquias, comunidades religiosas, dioceses, escolas e outras instituições católicas, reflita e aprofunde seu engajamento com a Encíclica. Estamos impedidos lamentavelmente a nos reunirmos para essa finalidade, como para as demais iniciativas da Igreja, por precaução contra a pandemia do Novo CoronaVirus. Mas os cristãos, em família ou isoladamente, podem ter acesso ao texto da “Laudato Si”, em muitíssimos e ricos comentários, pelas novas mídias e pelas emissoras católicas de rádio e televisão.

Somos convidados a avaliar com honestidade as ações que já foram tomadas e a nos comprometermos a dar o próximo passo juntos.O que estamos fazendo da Terra, nossa casa comum?Deus em Sua misericórdia e amor nos proporcionou uma casa, o nosso planeta, com infinitas riquezas e belezas, e deu-nos a ordem expressa para dela usufruirmos e cuidarmos. Mas o homem entendeu a ordem de “dominar a terra” de maneira equivocada. E ao invés de utilizar suas riquezas com inteligência e precaução, vem degradando e destruindo o bem comum, pertencente a todos os povos e seres vivos, sem distinção.

“Os cristãos, algumas vezes, têm interpretado de forma incorreta as Escrituras, hoje devemos decididamente rejeitar que, do fato de ser criados à imagem de Deus e do mandato de dominar a terra, se deduza um domínio absoluto sobre as outras criaturas. Ao ser humano cabe a responsabilidade de “cultivar e guardar” o jardim do mundo (cf. Gn 2,15).” (Laudato Si,67). A Encíclica nos remete à reflexão sobre nossas atitudes e ações frente à responsabilidade como cuidadores e guardadores da Terra, do meio ambiente e uns dos outros, e nos chama a sair da espiral de autodestruição na qual estamos nos afundando.

Já na sua apresentação, a Encíclica utiliza o nome da invocação de S. Francisco de Assis, “Laudato si, mi Signore”, “Louvado seja, meu Senhor”, que apresenta a terra, a nossa casa comum, como “uma irmã com a qual partilhamos a existência, mas também uma mãe bonita que nos acolhe nos seus braços”.Na introdução, o Santo Papa nos relembra que nós mesmos “somos terra (Gen 2,7). O nosso próprio corpo é formado pelos elementos do planeta, o seu ar é o que nos permite respirar e a sua água vivifica-nos e nos restaura”.

Mas a Terra se apresenta cada dia mais maltratada e explorada pelas ações e atitudes humanas, que ao visarem os benefícios e lucros pontuais, esquecem-se do futuro e da própria sobrevivência das espécies. De acordo com o documento, a Terra lança seus gemidos, junto com todos os excluídos e abandonados, e aqui se unem povos, raças e todo o tipo de ser vivente.

A proposta da Encíclica é a manutenção de uma ecologia integral, que compreenda as dimensões humanas e sociais, diretamente ligadas à questão ambiental. O texto apresenta uma relação direta entre a pobreza de alguns povos e a fragilidade do planeta. Tudo no mundo está intimamente interligado. Somos chamados a rever o “valor real de cada criatura; o sentido humano da ecologia; a necessidade de debates sinceros e honestos; a grave responsabilidade da política internacional e local; a cultura do descarte e a proposta de um novo estilo de vida”.

De acordo com o documento, “não podemos considerar a natureza como algo separado de nós ou como uma mera moldura da nossa vida”, pois “não há duas crises separadas, uma ambiental e outra social, mas uma única e complexa crise socioambiental”. Não tomemos, assim, a realização dessa semana como uma mera coincidência com a sofrida quarentena que a pandemia do Convid 19 nos impôs. Mas como oportunidade singular de refletirmos, rezarmos e buscarmos caminhos para a vida do planeta e nossa. E como Francisco, podemos cantar “Laudado Si, mi Signore”!


Medoro, irmão menor-padre pecador

Por Padre Medoro

Crédito da Foto: Reprodução

B01 - 728x90