Tabus da saúde masculina

Quarta, 15 de Novembro de 2017.

Tabus da saúde masculina

Todo homem precisa saber, mas nem sempre tem coragem de perguntar a um profissional da saúde. Seja por influência cultural, seja por traços de personalidade, o que os médicos afirmam é que, em sua maioria, os homens evitam o consultório médico bem mais que as mulheres. Eles costumam recorrer a um especialista somente quando já não tem outra opção e também são mais negligentes no tratamento das doenças. Por conta desse comportamento, muitos mitos e inverdades, foram construídos ao longo de décadas, fazendo com que a busca por tratamento seja motivo de vergonha para boa parte deles. Sem falar, é claro nos preconceitos em torno dos exames e procedimentos e, ainda, desconhecimento a respeito de problemas exclusivamente masculinos, como a impotência sexual e o câncer de próstata.

Segundo o Ministério da Saúde, na faixa dos 20 aos59 anos, a cada 3 pessoas que morrem no Brasil, dois são do sexo masculino. Eles vivem, em média, 7 anos a menos que as mulheres, têm mais doenças do coração, câncer, diabetes, além da taxa de colesterol e pressão arterial mais elevadas. Para reverter esse quadro, em agosto de 2009, o Ministério da Saúde lançou a Política Nacional da Saúde do Homem.

A campanha pretende facilitar e ampliar o acesso da população masculina aos serviços médicos com o intuito de transformar hábitos e conscientizar para a importância do cuidado com a saúde masculina.

Mas os principais tabus continuam sendo aqueles relativos à sexualidade: impotência, ejaculação precoce, câncer de próstata, infertilidade e certas doenças sexualmente transmissíveis.


Impotência Sexual

A impotência sexual é, de todos os tabus a respeito da saúde masculina, a que mais aflige os homens. Estima-se que até 50% da população masculina acima dos 40 anos, apresente disfunção erétil, relacionadas tanto a problemas sistêmicos, complicações cardiovasculares, ou doenças que alterem as taxas hormonais, quanto a questões psicológicas.

"Durante a ereção, um conjunto de vasos entra em ação. Se tiverem comprometidos, como no caso de doenças cardiovasculares ou a aterosclerose, por exemplo, o desempenho sexual pode ser afetado". Apesar de a incidência ser maior na população madura, os mais jovens também sofrem, quando o assunto problema de ereção motivado por fundo psicológico.

Mas quando o home deve suspeitar se tem ou não impotência sexual? As queixas como a dificuldade em iniciar a ereção ou mantê-la, distúrbios na ejaculação e rigidez peniana inadequada são os indícios para que se recorra a um médico em busca de tratamento. Um mito bastante comum a respeito da virilidade masculina, aliás, gira em torno de dois fatores; o de que algumas atitudes podem levar a impotência e o que outras ações podem ajudar a aumentar a virilidade masculina.

Não há comprovação científica de que atividades do dia-a-dia, estejam diretamente relacionadas à disfunção erétil. A pessoa deve buscar tratamento com um especialista para que a doença possa ser entendida e tratada de forma adequada. A melhor maneira de se manter viril é cultivar hábitos saudáveis de vida, que diminuam as chances de disfunção erétil.

Mas, apesar de todos os mitos e inverdades sobre o assunto, não há motivo para desespero. A impotência sexual tem cura e pode ser corrigida de maneira simples. alguns casos são resolvidos com o tratamento psicológico. Em outras situações, o uso de medicamentos orais ou injetáveis pelo pênis (intracavernosos) pode ser sinônimos de cura, sempre ministrada com acompanhamento de um psicólogo. somente em episódios extremos, é que são utilizadas as próteses penianas. Por isso, a melhor opção é sempre buscar um médico o quanto antes, não só para tratar o problema, mas também para livrar se de um fantasma que pode facilmente desaparecer.


Próstata

A próstata é uma glândula de grande importância no sistema reprodutor masculino e seu bom funcionamento é fundamental para a saúde do homem, isso porque de 10 a 30% do volume do sêmem é produzido e armazenado no órgão, localizado entre a bexiga e o reto. Além disso, a próstata é composta por músculos que auxiliam a expelir o líquido na hora da ejaculação.

Apesar disso, até bem pouco tempo atrás, a glândula era negligenciada, consequentemente a prevenção e o tratamento de possíveis problemas ficavam de lado. Este descuido era motivado pelo preconceito em torno do principal procedimento utilizado para a detecção precoce, o exame de toque retal ou digital e pela falta de conhecimento sobre a doença, esse comportamento é o que levou muitos pacientes ao diagnóstico tardio de câncer e aumentou o risco de morte nos acometidos pela doença.

As principais doenças que atingem a próstata são; HPB (hiperplasia prostática benigna, um processo natural do corpo, que consiste no aumento da próstata com o passar dos anos, mais que, em excesso, pode levar a alterações na micção; prostatites, causadas por infecções na região e o câncer (adenocarcinoma da próstata), que é a principal ameaça de óbito.

No caso de câncer há ainda exames complementares, como o exame de sangue PSA (antígeno específico de próstata) e a US (ultrassonografia), que pode ser usada a critério médico. "Além dos métodos científicos, é importante também que o homem preste atenção ao seu corpo e observe lesões suspeitas no pênis e nos testículos. Frequentemente tumores de testículo são diagnosticados quando o próprio homem percebe".


Infertilidade masculina

Até algum tempo atrás, a dificuldade em conceber um bebê era quase sempre atribuída às mulheres. Os avanços da medicina, no entanto, comprovaram que, ao contrário dop que se pensava, os casos de infertilidade relacionada a fatores masculinos somam quase um terço de todos os casos, sendo o outro terço, conjugal.

As principais razões para a infertilidade no homem têm causas orgânicas e externas; a maioria delas, felizmente temporárias.
Uma das causas mais significativas para a diminuição da fertilidade são as alterações na temperatura dos testículos, provocadas por atividades como manter o laptop ligado no colo por muito tempo, ou a permanência em saunas, banhos de ofurô e outros ambientes excessivamente quentes.

"Uma das razões de os testículos ficarem posicionados na bolsa testicular (escroto) é o fato de que a temperatura interna do corpo seria muito alta para a produção de espermatozóides". Outros hábitos que, de acordo com os urologistas, interferem na fertilidade são o tabagismo e o consumo de anabolizantes, maconha, cocaína e ecstasy, por alterações e na quantidade e a forma dos espermatozóides.

Mas enquanto algumas causas se devem a hábitos possíveis de modificação, outras dizem respeito a enfermidades que podem alterar permanentemente a infertilidade. É o caso das doenças infecciosas que causam inflamações nos testículos, como algumas DST como blenorragia (gonorreia) e a clamídia; a varicocele que provoca o surgimento de varizes na região escrotal. "A maior parte dos casos de infertilidade causados por esses problemas pode ser revertida com tratamento médico". Mesmo para os casos em que a enfermidade da infertilidade é permanente, já existem terapias de reprodução assistida que possibilitam a muitos homens realizar o sonho da paternidade.


Doença Sexualmente Transmissíveis

Quando não diagnosticadas e tratadas, as DST pode representar um risco sério à saúde do homem e das pessoas com as quais ele venha a ter relações sexuais. Elas podem causar complicações, como o aparecimento de estenoses na uretra (estreitamento), lesões penianas deformantes, propiciar o aparecimento do câncer e até mesmo desencadear infertilidade.
Outras enfermidades comuns são uretrites, HPV (verruga condiloma), sífilis e ainda hepatite C e o HIV, doenças ainda sem cura.

O diagnóstico correto da DST e o tratamento adequado devem ser feitos por especialistas, mas o próprio paciente pode ficar atento a descobrir anormalidades. "Lesões nas genitálias, feridas suspeitas, presença de secreção ou corrimento uretrais, e desconforto miccional podem ser o alerta.

O diagnóstico é feito baseado em sintomas, exames físicos e, em determinados casos, laboratoriais.
Todos devem fazer exames periódicos para prevenção de qualquer patologia (doença) e nas DST a prevenção e uso de preservativos no ato sexual que é a melhor maneira de evitar as DST.

Por Dr. Eneas Zandomênico

B01 - 728x90