Temer está com votite aguda

Quinta, 07 de Dezembro de 2017.



Finalmente o presidente Michel Temer reconheceu que está com “votite” aguda. Por mais que faça as contas, não consegue encontrar o número de votos que precisa para aprovar as mudanças da previdência social. que ficou mais complicado com o desembarque dos tucanos, O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM),não cansa de dizer que já combinou com Michel que só colocará o projeto em pauta quando houver número suficiente para garantir a aprovação. Trocando em miúdo:“ fará tudo que o mestre mandar.
Por falar em previdência social, se as novas regras trabalhistas permitem contratos com remuneração mensal inferior ao salário mínimo, então esta expressão perdeu o sentido. Não há mais salário mínimo no Brasil, entendido como um piso salarial para todos os trabalhadores. Agora, o que chamamos de mínimo pode ser considerado no máximo um salário de referência para o mercado e para o setor público. Na prática reformista, o piso acabou.
Sobre as eleições 2018, a saída de cena de Luciano Huck derrubou as expectativas de lançamento de um ‘outsider’ para encabeçar uma campanha competitiva no campo da centro-direita. Por conta disso estão mais aceleradas as articulações em torno dos ‘insiders’ a postos na área, basicamente dois: Henrique Meirelles e Geraldo Alckmin. Os líderes da coalizão governista, incluindo Michel Temer, se apressam para costurar uma aliança que viabilize um nome do “centro”. A ideia é dar ao candidato a maior coligação e o maior tempo de TV, muita estrutura para ultrapassar o extremista Bolsonaro, hoje o nome do campo mais perto do segundo turno, mas atrás. de Lula, que ainda aparece nas pesquisas em primeiro.
Marina Silva que andava meio apagada na mídia, comunicou a Rede a decisão e concorrer ao Planalto, encerrando o suspense sobre sua candidatura, e o líder sem-teto Guilherme Boulos foi recebido em evento do PSOL como virtual presidenciável do partido Com esses dois nomes sobe a cinco o número de candidatos no campo centro-esquerda, onde já estão lançados Lula(PT), Manuela D’Ávila (PCdoB) e Ciro Gomes (PDT).Vale lembrar que os grupos da centro-esquerda estão marchando em direção a 2018, mais divididos que nunca, cada um na sua..
Para dar palanque a Marina em Minas, a Rede vai lançar candidato ao governo do Estado. E já definiu o nome: é o ex-deputado João Batista dos Mares Guia. O mais novo postulante a governador é irmão do empresário e ex-ministro Walfrido Mares Guia – que continua um lulista roxo, aliás.
A mosca azul, parece que picou Meirelles, que de forma acanhada, já deixa transparecer que pode ser o candidato a sucessão presidencial; Só que, anúncio do PIB de 0,1% no terceiro trimestre jogou um balde de água fria na opção Meirelles. O número divulgado na última sexta-feira veio baixíssimo; um crescimento apenas simbólico. De fato, a economia ficou estagnada. O que detona o principal trunfo de Meirelles. Ele pretendia se cacifar como ministro do PIB, aquele que reergueu a economia. Mas, por ora, continua ministro de um “pibinho”. Com Meirelles detonado e sem um “outsider” à mão, o campo centro-direita, ou grande parte dele, começa a rumar para o governador tucano. Este está virando alternativa para a maioria dos governistas, o escoadouro inevitável da coalizão de partido que se formou pós-impeachment: eles não têm para onde correr, Geraldo Alckmin é o que vai sobrando, mas há que se admitir que, como se diz na gíria, vai” capinar senado” Não será nada fácil querer se livrar da mancha de seu partido ter participado fartamente do governo Temer, ocupando três ministérios, na base do toma-lá-da-cá..
O eleitor está de olho
Vou ficando por aqui.

Por Carlos Letra

B01 - 728x90