ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ÚLTIMAS

Um Sublime Exemplo da Natureza

Quarta, 20 de Maio de 2020.

  Um Sublime Exemplo da Natureza Por Carlos Bernardo González Pecotche (Raumsol)

Na Natureza todas as partículas que a configuram colaboram entre si. Daí ser possível – pelo concurso de todos os elementos da Criação – que surjam os vegetais e deem formosas flores e frutos.

Se colocarmos uma plantinha num vaso, deixando-a, depois, num pátio, só servirá para distrair nossa vista, pois a planta se esterilizará, uma vez que sua semente cairá sobre o piso frio, que não pode recolhê-la e, portanto, não será possível continuar existindo em outras plantas surgidas de sua própria semente. Mas, se em vez de cair em local infecundo, encontrar terra fértil, umedecida pelo sereno da noite ou pela irrigação que alguma mão caridosa lhe ofereça, veremos surgir uma planta aqui, outra ali, e muitas mais...

Se cada um trabalhar, avançará; ao contrário, isolando-se em si mesmo, sua semente cairá também sobre o piso frio e não haverá continuidade de vida, porque ela morrerá ali. Mas se, assim como as plantas que crescem em terreno fértil, cada um lançar ao seu redor a semente de seu entendimento, e muitos estenderem as mãos para regá-la, logo haverá muitas plantas da mesma semente.

Não é possível ir contra os desígnios eternos, porque eles são os princípios inalteráveis que constituem a vida imortal.

E se a Natureza, que é obra do Supremo Criador, está dando esse sublime exemplo, o ser humano, dotado de inteligência, não pode pensar de forma oposta, contrariando na própria vida esse princípio de colaboração e de irmanação. Tem-se visto muitas vezes um arbusto dar sua sombra a uma planta que nasce, preservando-a dos raios ardentes do sol ou protegendo-a do granizo. E tem-se visto também essa planta ganhar corpo e alongar seu caule, protegendo depois o mesmo arbusto que no princípio lhe deu sua sombra benfeitora e que possivelmente teria morrido, levado pelos vendavais, se não se achasse sustentado pelo tronco dessa planta à qual ofereceu generoso amparo.

Isto nos demonstra que dentro da magna Criação existem milhares de pequenas criações que cumprem um desígnio comum. Entretanto, que diriam se esse arbusto ficasse com ciúmes e pretendesse que um raio fulminasse a árvore que dá sua sombra a ele que, como arbusto, chegou ao máximo de altura para a sua espécie?

Poderão observar na Natureza algo também muito curioso: existem árvores que com suas raízes alimentam as de outras pequenas plantinhas, e há também as que, por baixo da terra, lhes absorvem a vida e as secam. Que todos sejam como as primeiras e ofereçam a vida às plantas pequenas, mostrando-lhes as raízes de seu conhecimento, de seu exemplo e de sua moral, para que essas plantinhas se nutram com esse exemplo, com esse conhecimento e essa moral e cresçam robustas. E, por acaso não irá cada um saborear esse fruto, que depois vai nutrir sua velhice?

Uma das formas mais sublimes de abrir o entendimento à verdade mais pura é acercar às possibilidades humanas o elemento capaz de nutri-lo, permitindo ao ser criar uma individualidade.

do Livro Introdução ao Conhecimento Logosófico, 116-117

• Reuniões Informativas – 3ª ás 18h e 19h; 4ª feiras às 19h;
• Informações – tel. (24) 988421575– 20307080 (noite)
• www.logosofia.org.br –rj-tresrios@logosofia.org.br

– LOGOSOFIA NO YOU TUBE –
Como ser feliz na situação atual
https://www.youtube.com/watch?v=UamBPcW3EdA

Por Logosofia

Crédito da Foto: Reprodução

B01 - 728x90