Vamos continuar falando de Setembro Amarelo?

Sábado, 14 de Setembro de 2019.

Vamos continuar falando de Setembro Amarelo?

Este mês, como sabemos, é dedicado à prevenção e luta contra o suicídio. Dissemos na semana passada, mas vale reforçar: de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), mais de 800 mil pessoas cometem suicídio por ano, o que corresponde a uma morte a cada 40 segundos. Só em nosso país, são 32 mortes por dia. E, apesar de a taxa mundial de suicídios ter caído 9,8%, o Brasil está na contramão desta tendência, com registro de aumento de 7% a cada 100 mil habitantes. Um dado preocupante, que reforça a necessidade de tratar do assunto – principalmente porque, conforme a OMS, 9 entre 10 casos podem ser evitados.
Felizmente, temos visto milhares de pessoas e instituições engajadas no movimento de conscientização, que tem por objetivo quebrar o silêncio e reverter o quadro. Neste processo, a ajuda da web é fundamental. Não apenas pelo compartilhamento de informações, mas para debater sobre educação e repensar nosso papel na rede. Sabe aquele meme desrespeitoso, aquele vídeo impróprio compartilhado, aquele comentário anônimo ou mesmo identificado, depreciando ou agredindo o semelhante? Pois é. Pode ser a gota d’água a transbordar o oceano de emoções. Sem eufemismo bonitinho: pode matar. Como aconteceu no caso da blogueira Alinne Araújo, a moça que se casou consigo mesma e recebeu uma enxurrada de críticas, suicidando-se pouco tempo depois. Ou das adolescentes do Piauí, que tiraram a própria vida após terem fotos íntimas vazadas no Facebook. São situações emblemáticas, que não estão isoladas. Alie-se a isso o fato de que o esvaziamento natural dos laços afetivos, no bojo da tecnologia, e a dependência das redes sociais e seus ‘likes’ ajudam a potencializar os transtornos psicológicos que podem culminar em atitudes drásticas.
A solução? Antes de tudo, amar mais. Elogiar mais. Conviver mais. Respeitar mais. Colocar-se no lugar do outro. Não omitir-se e nem ser conivente com publicações e/ou insinuações maldosas no ciberespaço (e nem em qualquer outro espaço). Cuidar de saber o que os filhos estão acessando no computador e no smartphone. E exaltar o bem. Propagar o bem. Divulgar o bem, sempre. Sem deixar, claro, de discutir os problemas que nos afligem.
Vamos aproveitar o momento e nos reciclar? Nos reinventar, se preciso for? Afinal, somos parte da história. Se temos livre-arbítrio para mudá-la, por que não tentar, com todas as nossas forças?
III Encontro de ciências e práticas integrativas e complementares em saúde
No dia 19 de setembro acontecerá, no auditório da Unimed, programação do III Encontro de ciências e práticas integrativas e complementares em saúde, cuja temática abrange o Setembro Amarelo. O evento, realizado pela Aurus Núcleo de Vida, com apoio da Prefeitura de Três Rios e do Sesc, trata de assuntos como prevenção do suicídio e medicina integrativa, arteterapia e terapia comunitária integrativa. Saiba mais:

#BOMFIMDESEMANA


Por Daniele Barizon

B01 - 728x90