Velhice Prematura

“Vontade de Viver”

Terça, 15 de Janeiro de 2019.

Velhice Prematura

Saúde e Longevidade
Parte 2
À medida que passar dos anos vai marcando o fim da mocidade, a vontade de viver é aparentemente ameaçada pelo enfraquecimento do corpo. Mas o defeito será realmente o corpo? Ou será dos nossos hábitos e pontos de vista? Os músculos de nosso corpo quando são exercitados eles não envelhecem até a idade avançada, também a mente que não para de funcionar, jamais envelhece. A ideia de que nada mais nos resta a aprender depois que deixamos a escola priva-nos ao mesmo tempo de novos conhecimentos e de novos prazeres. É também auto-destrutiva, é um convite a senilidade (próprio da velhice, demência, caduco, etc). Quando cessamos de aprender, começamos a envelhecer; quando deixamos de encontrar interesse nas coisas do mundo, começamos a envelhecer; quando deixamos de utilizar todas nossas faculdades físicas, começamos a envelhecer.
Não existe uma idade fisiológica que marque o fim de todas as nossas atividades. Assim sendo, não existe idade além da qual estamos condenados a envelhecer. Os interesses, artes e habilidades que impensadamente desprezamos ao entrar na idade madura, talvez sejam os tônicos que teriam o dom de fortalecer-nos nos momentos mais difíceis da nossa vida. Se os pusermos de lado até dispormos de tempo para cultivá-los, estamos atraindo a velhice antes do tempo. Quando atingirmos por fim a idade avançada, quando as lutas mais árduas já tiverem ficado para traz e nos sentirmos livres para gozar os frutos do nosso labor (trabalho), talvez não encontraremos frutos para saborear. Percebemos então que os deixamos murchar. Todos os nossos esforços para prolongar a vida, podem ter contribuído não para esticar a nossa demora na terra, mas para moderar a marcha da morte. Assim finalizando, afirmo a todas as pessoas que a nossa vinda ao mundo não consiste em somar dias a nossa vida e sim em somar vida aos nossos dias. Pois a explicação nada tem de misteriosa. Acho que o homem ou mulher que souber envelhecer dignamente, alcançou a maturidade. Se chegássemos a conhecer todos os pormenores da vida, dessas criaturas, estou certo de que descobriríamos o porquê da maturidade que lhes ilumina a velhice.
Para viver uma vida longa não só quanto à idade, como em plenitude e felicidade, precisamos compreender e controlar as forças que encurtam a vida. Da infância à velhice, precisamos encontrar tempo para cultivar a vontade de viver. Respire bastante e corretamente, e não deixe de praticar “TAI CHI CHUAN” para você.


Edgar Antunes - Terapeuta Holístico

Por Edgar Antunes

B01 - 728x90