A mulher e suas transformações

Mundo - (Saúde) - Sexta, 08 de Março de 2019.

A mulher e suas transformações

Hoje comemora-se o Dia Internacional da Mulher. Ao longo da história, o papel da mulher vem passando por importantes e expressivas transformações. A mulher saiu da exclusividade de mãe/esposa e ganhou o mundo público, mostrando que os papéis sociais não estão mais tão rígidos, preestabelecidos e definidos como antes. Vale destacar que a igualdade de direitos e obrigações entre homens e mulheres está reconhecida, no Brasil, pela Constituição Federal de 1988.A industrialização, a urbanização, os métodos contraceptivos, o acesso à escola e às universidades, e o movimento feminista foram decisivos para tais transformações. É possível perceber que a mulher está cada vez mais ciente e atuante na luta pelos seus direitos e, pela participação na sociedade e na economia do país e do mundo. Este movimento da mulher, sem dúvida, contribui para a valorização de si mesma e, consequentemente, para o aumento da autoestima e a melhora na qualidade de vida. Não é possível pensar em empoderamento das mulheres sem considerar o poder social que cada uma de nós é capaz de exercer sobre a própria vida e sobre o meio em que está inserida.
Todas essas transformações vem acontecendo ao longo dos séculos, mas não podemos esquecer de que estamos falando, também, de subjetividade. Cada pessoa tem seu tempo para reconhecer e se habituar às mudanças, com o que é novo e, assim, desempenhar outros tantos possíveis papéis. Tem pessoas que podem apresentar algumas dificuldades para lidar com tantas situações novas e diferentes. Vivemos num mundo com múltiplos e flexíveis papéis.
Vale lembrar que no município de Três Rios a mulher pode procurar assistência profissional na rede pública, como a Clínica da Saúde da Mulher, o PSF do bairro onde mora, o NASF (Núcleo Ampliado de Saúde da Família), o CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), entre outros serviços.
Vemos, diariamente, importantes mudanças ao nosso redor e, também, nas nossas vidas, mas muito caminho ainda precisa ser percorrido, muitas ideias a serem repensadas, muitas vidas retiradas pela violência.E que todos os dias sejam de conscientização da importância da mulher na família, na sociedade, no trabalho e, em todos os lugares e papéis que ela quiser estar e desempenhar!

Rosana Marcelino Oliveira
Psicóloga – CRP 05/38429
NASF Núcleo 1
Especialização em Psicologia e Saúde
Especialização em Terapia Cognitivo Comportamental

Por Redação

Publicidade
3 Tenis 189