Amanhã é Dia do Jornalismo

Conheça um pouco mais sobre a profissão e sua origem

Mundo - (Cotidiano) - Sábado, 06 de Abril de 2019.

Amanhã é Dia do Jornalismo

Mas afinal, o que é o Jornalismo?
O jornalismo é uma atividade profissional que consiste em lidar com notícias, dados factuais e divulgação de informações. O Jornalismo na prática está associado a coletar, redigir, editar e publicar informações sobre eventos atuais em forma de uma atividade de comunicação.
Em uma sociedade moderna, os meios de comunicação tornaram-se os principais fornecedores de informação e opinião sobre assuntos públicos, mas o papel do jornalismo, juntamente com outras formas de mídia, está sofrendo modificações, decorrentes da expansão da internet. O jornalista pode atuar em várias áreas ou veículos de imprensa, como jornais, revistas, televisão, rádio, websítios, weblogues, assessorias de imprensa e outros.

Por que se comemora o Dia do Jornalismo no dia 7 de abril?
Foi nessa data que o imperador Dom Pedro I abdicou do trono brasileiro, em 1831. E 100 anos depois do primeiro imperador brasileiro deixar seu cargo, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) prestou uma homenagem ao jornalista e médico Giovanni Battista Líbero Badaró, um dos principais oposicionistas de Dom Pedro.
Badaró foi morto a tiros por inimigos políticos no dia 22 de novembro de 1830. O crime ocorreu na rua de sua casa, a antiga Nova São José onde hoje fica a Rua Líbero Badaró, na região central da cidade de São Paulo. O jornalista era proprietário do "Observador Constitucional", veículo que defendia ideias liberais e se opunha ao reinado de Pedro I.
Antes de sua morte, o jornalista disse: "morre um liberal, mas não morre a liberdade". O assassinato aumentou ainda mais a crise que começava a se instaurar no império de Dom Pedro I. A revolta de populares e políticos contrários à repressão do monarca tornaram sua permanência no poder cada vez mais perigosa, uma vez que atos violentos estavam acontecendo frequentemente. Esse foi um dos fatores que levaram à renúncia de Dom Pedro em 7 de abril.

Como surgiu o Jornalismo?
Não se sabe ao certo a origem exata do jornalismo e qual foi o primeiro jornal do mundo, mas os historiadores atribuem ao lendário Imperador Romano Júlio César esta invenção.
Júlio César, além de um excelente general e comandante, também foi um divulgador de suas conquistas militares e buscava informar o povo da expansão do Império. César criou a chamada Acta Diurna, o primeiro jornal de que se tem notícia no mundo.
A Acta Diurna era uma publicação oficial do Império Romano, criada no ano de 59 a.C. durante o governo imperial de César. Ela trazia notícias diariamente para a população de todos os cantos do Império falando principalmente de conquistas militares, ciência e de política.
Na Acta Diurna, surgiram os primeiros profissionais de jornalismo do mundo, os chamados Correspondentes Imperiais. Eles foram enviados para todas as regiões e províncias Romanas para acompanhar e escrever as notícias.
Como não existiam tecnologias de impressão no Império Romano e nem mesmo papel em quantidade suficiente, a Acta Diurna era publicada em grandes placas brancas de papel e madeira. Estas placas eram expostas nas principais praças das grandes cidades para que as pessoas lessem de graça.
As comunicações também eram lentas na Época do Império Romano. Como os textos eram transportados a pé ou a cavalo, embora a Acta Diurna fosse publicada todos os dias, sempre apresentava notícias de dias ou semanas atrás.
Como era uma publicação de jornalismo oficial, a Acta Diurna Romana não era imparcial, nunca publicava notícias negativas de derrotas do Exército Romano e nem escândalos envolvendo pessoas públicas e aliados do Imperador.

Gutenberg, a evolução dos jornais e do Jornalismo na Idade Média
Durante a Idade Média, pode-se dizer que os jornais e o jornalismo tiveram o seu maior salto tecnológico: a prensa de papel inventada pelo Alemão Johannes Gutenberg possibilitou que o trabalho que antes era realizado manualmente pudesse ser feito por máquinas, tornando a publicação de livros de jornais muito mais ampla, rápida e barata.
A prensa de papel, construída com base na tecnologia dos tipos (letras) móveis e também da prensa de vinho (que já era conhecida na Europa) permitiu que Gutenberg criasse toda uma nova indústria.
A revolução na época foi tão grande que alguns autores afirmam que a prensa de papel de Gutenberg tirou o mundo de vez da Idade Média, levando-o para a Era da Renascença, com o despertar definitivo da ciência e do jornalismo profissional.
A Bíblia de Gutenberg, considerada por muitos a obra prima do inventor Alemão, foi o primeiro livro a ser produzido, lançado e vendido com a tecnologia da prensa mecânica de papel.
Este exemplar da Bíblia, que começou a ser produzido em 1450 e foi finalizado em 1455, foi o primeiro livro a ser produzido em larga escala (escala industrial).
Apesar de terem mais de 550 anos de idade, algumas pessoas, instituições e museus ainda tem cópias originais da Bíblia de Gutenberg! Exemplares dessa obra podem ser encontrados na Biblioteca do Congresso em Washington, na Universidade Keio em Tokyo e também na casa do empresário Americano Bill Gates, o homem mais rico do mundo nas décadas de 80 e 90 do século XX, que comprou um exemplar deste tesouro histórico em um leilão em 1994.

Áreas do Jornalismo
Comunicação digital multimídia: criar, montar, implantar e cuidar da manutenção de websites, intranets e extranets. Redigir e editar boletins e revistas eletrônicas. Administrar conteúdos na internet.
Comunicação empresarial: promover o contato entre determinada organização com a imprensa ou outro público-alvo, como funcionários, fornecedores, clientes, governo e entidades, a fim de divulgar o nome da empresa, seus valores e produtos.
Edição: definir o enfoque e o tamanho da reportagem e redigir o texto final. Em veículos impressos e na internet, selecionar fotos e ilustrações que serão usadas. Em rádio e TV, combinar imagens e/ou sons para dar forma final a documentários e noticiários.
Fotojornalismo: fotografar cenas reais, pessoas e acontecimentos para reportagens em jornais, revistas ou internet.
Reportagem: coletar informações e redigir textos para divulgação em rádio, televisão, jornais, revistas ou internet.

Dez fatos sobre o curso e a carreira de Jornalismo
1. O curso tem duração de quatro anos
Ao longo de oito semestres os estudantes passam por disciplinas teóricas de humanas como Filosofia, Língua Portuguesa, Teoria da Comunicação e Ciências da Linguagem. Também estudam disciplinas específicas de cada área do jornalismo, como radiojornalismo, documentário, jornalismo em TV, jornalismo diário e livro-reportagem.
2. Continuar estudando depois da graduação é importante
Fazer uma pós-graduação enriquece a formação do jornalista, que deve sempre buscar mais conhecimento e investir em sua formação intelectual. Mestrado e doutorado são boas opções para quem quer se aprofundar em um determinado tema.
3. O estudante de jornalismo precisa ter capacidade de liderança
Quem opta pela carreira de jornalista precisa ter uma liderança no sentido de sempre estar na sociedade com olhar crítico e de transformação e saber que as pessoas esperam dele informações e opiniões.
4. É preciso ler muito e estar preocupado com os fatos
Pré-disposição para ler e acompanhar as notícias é essencial. O jornalista precisa ter uma visão do todo e usar para analisar a sua realidade, além de se preocupar com que acontece em todo o mundo, não só com o seu entorno imediato.

A história do Entre-Rios Jornal
Não podíamos falar de jornalismo sem contar sobre o nosso querido: Entre-Rios Jornal.
O jornal foi fundado em 17 de janeiro de 1935 em nossa região a fim de trazer à notícia a população das cidades que faziam parte de nossa região. Desde então veicula matérias de interesse da comunidade tais como política, policiais, editais públicos, sociais esportivas, classificados dentre outras, se tornando o órgão oficial dos poderes legislativo, executivo e judiciário de varias localidades da Micro Região Centro Sul.
Inscrito na associação brasileira de empresas editoriais de jornais ABRAJORI, o Entre Rios Jornal possui hoje uma tiragem diária de em média 5.000 exemplares obedecendo a qualidade de seu conteúdo e variando de acordo com a necessidade de veiculação das matérias. Sua circulação é de terça a Sábado abrangendo onze das principais cidades, são elas Três Rios, Paraíba do Sul, Areal,São José do Vale do Rio Preto, Com. Levy Gasparian, Vassouras, Sapucaia, Miguel Pereira, Paty do Alferes, Santana do Deserto, Chiador e também em outros municípios em menor expedição.
Sendo um jornal confeccionado em sistema de OFF SET, o Entre-Rios Jornal possui uma ampla oficina onde se encontram todos os maquinários para a confecção de sua edições, propiciando uma alta fidelidade nas suas páginas que são cem por cento confeccionadas dentro de nossas instalações, desde de sua diagramação passando pela filmagem ate a impressão.
Uma empresa de capital nacional, empregando e assistindo inúmeros funcionários que nela acreditam e que durante todos estes anos demonstram competência para fazer do Entre-Rios Jornal uma empresa que cresce a cada ano.

Fontes: Guia da Carreira – Jornalismo e Guia do Estudante

Por Zeca Lima

Publicidade
4 itens por 199
3 Tenis 189