Câmara de Com. Levy Gasparian vota contas de Cláudio Mannarino

Tribunal de Contas já havia dado parecer contrário em 2017

Comendador Levy Gasparian - (Política) - Quarta, 10 de Julho de 2019.

Câmara de Com. Levy Gasparian vota contas de Cláudio Mannarino TCE reprovou contas de 2016 do ex-prefeito Cláudio Mannarino

O legislativo gaspariense se reúne logo mais a partir das 18h30 para votar se mantém o parecer contrário do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro referente às contas do ex-prefeito Cláudio Mannarino, de 2016.

Segundo o presidente da Câmara, vereador Carlos Alberto de Andrade Vasconcelos - Tim do Loza, o ex-prefeito estará presente na sessão com sua defesa.

Em dezembro de 2017, o TCE-RJ emitiu parecer contrário: "no caso de Comendador Levy Gasparian, a relatora do processo, conselheira substituta Andrea Siqueira Martins enumerou quatro irregularidades sob responsabilidade do ex-prefeito Cláudio Mannarino: déficit financeiro de R$ 9.171.176,99 acumulado ao longo da gestão; repasse abaixo do orçamento final do Poder
Legislativo; assunção de obrigação de despesa nos dois últimos quadrimestres do mandato sem que a mesma possa ser paga dentro do período ou que haja suficiente disponibilidade de caixa para sua cobertura; e cancelamento, sem justificativa, de restos a pagar processados no valor de R$ 572.083,37. Além disso, foram apresentadas 23 impropriedades e 27 determinações".

Em maio de 2017, em reunião da Câmara de Vereadores de Comendador Levy Gasparian foi anunciado o déficit da Prefeitura Municipal: R$ 16 milhões. Sendo R$ 14,6 milhões de déficit financeiro e R$ 1,3 milhões no Fundo Municipal de Saúde. O valor até então não havia sido divulgado oficialmente, já que em entrevista concedida ao Entre-Rios Jornal no início daquele ano, o atual chefe do Poder Executivo, Valter Lavinas, não havia informado o valor da dívida herdada do ex-prefeito Claúdio Mannarino.

Na ocasião, Valter informou apenas que estava trabalhando arduamente para liquidar o valor deixado pela administração anterior.

Durante o anúncio do déficit, o vereador recém empossado, Nilton Nei, chegou a afirmar que tratava-se de uma irresponsabilidade do ex-prefeito ao gerir os recursos públicos. Ainda durante a discussão, o vereador informou que haviam sido gastos R$ 1 milhão em meio ambiente no município.

“Eu, particularmente, não vi este investimento e tenho certeza de que nenhum munícipe sabe onde este dinheiro foi investido”, questionou o vereador na época.

Por Redação

Crédito da Foto: Arquivo ERJ

Publicidade
728x90
3 Tenis 189