Com quase 90 anos, dona Matilde busca encontrar seus parentes

O último parente que Matilde se recorda de Petrópolis se chama Anildo

Região - (Cotidiano) - Terça, 27 de Novembro de 2018.

Com quase 90 anos, dona Matilde busca encontrar seus parentes

Quando criança, dona Matilde Lucas da Silva, morava em Três Rios e foi separada pelo pai da mãe que a levou, junto de algumas irmãs, para morar com ele e a madrasta. Mais tarde, Matilde foi entregue para ser criada por sua madrinha de Petrópolis. Ficou morando com a madrinha por algum tempo e trabalhando lá, depois de um tempo decidiu sair da casa e morar sozinha.
Dos últimos parentes que Matilde conheceu foi a prima de segundo grau Almerinda, que faleceu há oito meses, que é esposa de José Maria Almerinda, também falecido. Almerinda tinha parentes e frequentava a casa deles, mas Matilde os visitava às vezes e hoje, seus amigos, Helena Herculano e Geraldo Sérgio da Silva buscam ajudá-la a reencontrar a família.
Certa vez, Almerinda ressaltou que tinha um sobrinho que queria cuidar de Matilde e que também já havia cuidado de uma irmã dela. O último parente que Matilde se recorda de Petrópolis se chama Anildo.
Helena conta que ajuda Matilde há 23 anos e queria fazer esse reencontro com os parentes por conta da história de Matilde, por estar com cerca de 90 anos e sozinha. Tudo que Matilde precisa Helena ajuda da melhor forma que consegue. Seja ajudando com a casa na limpeza ou comprando remédios e a levando nos médicos. Hoje, Matilde se vê na dificuldade morando sozinha, pagando medicamentos, aluguel e contas.
O único documento que Matilde tem é a identidade quando chegou em Petrópolis mais jovem e no registro tem o nome de seu pai Saturnino Lucas da Silva e sua mãe Dorcelina Rosa da Silva.
Segundo Helena, a forma mais eficaz de encontrar os parentes de Matilde é focando em vínculos familiares entre ela e Almerinda.


Por Zeca Lima

Crédito da Foto: Helena Herculano

Publicidade
4 itens por 199