Combate à Corrupção e Crime Organizado apresenta resultados

Estado do Rio - (Cotidiano) - Sexta, 26 de Abril de 2019.

Combate à Corrupção e Crime Organizado apresenta resultados

O novo Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR-LD) já começa a apresentar resultados nos primeiros meses de governo. A unidade, vinculada à Secretaria de Estado de Polícia Civil, conseguiu, somente nos três primeiros meses do ano, sequestrar R$ 5 milhões em bens relacionados à milícia, crime organizado e lavagem de dinheiro. O setor investigativo também apreendeu cerca de R$ 125 mil, um aumento de 392,43% no comparativo com o primeiro trimestre de 2018. Relatório produzido pela delegada responsável pelo departamento, Patrícia Costa Araujo de Alemany, também aponta a perspectiva de avanços em ações investigativas já em curso. O número de casos analisados pela unidade cresceu 192% em comparação com os três primeiros meses de 2018 e 152% em valores financeiros analisados.

"O fato do departamento ter se transformado em uma política de governo já faz com que as investigações de lavagem de dinheiro, por exemplo, aumentem bastante. O mais importante de tudo isso é termos uma estratégia política voltada para esta natureza. É uma cultura que está se estabelecendo, de termos um olhar mais atento a crimes de viés financeiro. São análises e investigações complexas e que demandam tempo, mas estamos convencidos de que até o final deste ano muitos outros resultados vão aparecer", afirmou a delegada.

O documento também mostra que houve aumento de 748% no total de pessoas físicas e jurídicas analisadas pelo departamento e que o número de autoridades policiais se cadastrando junto ao Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) também vem aumentando significativamente.

"Parece pouco, mas o fato de em 2018 apenas quatro autoridades policiais terem se cadastrado no Coaf e termos, em 2019, 27 agentes cadastrados no conselho demonstra que agora há uma política dedicada à coleta de informações relacionadas aos crimes financeiros. Nossa unidade também cumpre um papel de estimular as delegacias de polícia a identificar crimes, o que permitirá que cada vez mais coibamos irregularidades desta natureza", explicou a Patrícia Alemany.

O DGCOR-LD tem trabalhado em parceria com a Controladoria Geral do Estado (CGE), com as secretarias de Saúde, Obras e Educação no combate à corrupção, além de contar com o apoio do Tribunal de Contas do Estado, o Ministério Público, entre outros órgãos.

Estrutura e tecnologia

Formado por policiais com perfis voltados às áreas de economia, contabilidade e informática, e capacitação realizada pela Polícia Civil para atuar com este tema específico, o departamento possui quatro unidades: Núcleo de Investigação ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro; Núcleo de Investigação à Corrupção e Lavagem de Dinheiro; Laboratórios de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro; e Gabinete de Recuperação de Ativos.

Por Julia de Brito/ Secom RJ

Por Redação

Crédito da Foto: Secom RJ

Publicidade
160X600jpg