Diálogo avança entre Governo Federal e Sistema S

Deputado Vinicius Farah diz que cursos profissionalizantes são necessários para geração de empregos

País - (Política) - Quinta, 12 de Setembro de 2019.

Diálogo avança entre Governo Federal e Sistema S O Deputado Federal durante encontro com o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Costa

Os efeitos da possibilidade do corte de 50% linear inicialmente proposto pelo Governo Federal na contribuição social que as indústrias são obrigadas a pagar para custear o Sistema S (Sebrae, Senac, Senai, Sesc, Sesi, Sest, Senat, Senar e Sescoop) preocupam o setor, em especial em relação aos cursos de qualificação profissional oferecidos a cidadãos em várias cidades da capital e no interior, além da entrega de serviços em diversas áreas como saúde, alimentação, cultura, esporte, entre outros.
Devido à parceria que estabeleceu com essas entidades quando foi prefeito de Três Rios e também por conta da sua boa relação com o ministro da Economia Paulo Guedes e com o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Costa, o hoje deputado federal Vinícius Farah, virou um importante interlocutor entre o Sistema S e o governo federal, no sentido de promover um diálogo que permita minimizar os impactos da mudança nos serviços mantidos hoje pelo sistema S em várias cidades, incluindo Três Rios, que conta com unidades do Sesc, Sesi, Senai e Senac.
“As mudanças que conseguimos fazer em Três Rios tiveram muita a ver com as parcerias que estabelecemos com essas entidades, que deram assessoria para inúmeros novos empreendedores que surgiram naquela época. Esse trabalho tem uma enorme importância, mas também acho que o Governo está correto em querer reduzir a carga de contribuição compulsória da Indústria, que vive uma crise imensa e precisa se recuperar para gerar emprego”, explica o deputado, eleito cinco vezes prefeito empreendedor pelo Sebrae.
Nesta terça-feira (10), mais um passo desse necessário diálogo foi dado, quando Vinícius Farah se reuniu com o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Costa, para apresentar um redesenho das atividades que as entidades que compõem o Sistema S pretendem adotar , em parceria com os governos.
“Minha defesa não é do Sistema S em si, mas dos benefícios que ele gera aos cidadãos. Como vice-presidente da Comissão de Finanças e Tributação, tenho defendido desde o início do meu mandato a importância dessas entidades para a ampliação do acesso à educação , como ferramenta fundamental na qualificação profissional dos brasileiros, e consequente geração de emprego e renda, e ainda a oferta de serviços à população como atendimento médico, odontológico, programas sociais e culturais, além de esporte e lazer”, finalizou.

Por Redação

Crédito da Foto: Divulgação

Publicidade
1200x628jpg
160X600jpg