Entre-Rios Jornal: 85 anos de comprometimento com a veracidade

Jornal passa a ser imortalizado em arquivamento digital

Região - (Cultura) - Sábado, 18 de Janeiro de 2020.

Entre-Rios Jornal: 85 anos de comprometimento com a veracidade Primeira página do Entre-Rios Jornal

Nesta sexta-feira (17), o Entre-Rios Jornal completou seus 85 anos de existência. Para comemorar essas quase nove décadas, vale registrar que grande parte dos jornais antigos, desde a década de 1930, passaram por um processo de microfilmagem e seus exemplares se encontram na internet, através da Hemeroteca da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.
O objetivo foi a preservação da documentação através do preparo, microfilmagem, processamento e a duplicação da coleção de periódicos de Três Rios dentro das finalidades do Plano Nacional de Periódicos Brasileiros.
A microfilmagem é um dos mais importantes elementos da preservação da documentação e da disseminação da informação. O microfilme é um suporte estável, tem uma tecnologia estabelecida e com perspectiva de vida de 500 anos.
O Plano Nacional de Microfilmagem de Periódicos Brasileiros foi criado no final de 1978, com o objetivo de localizar, recuperar, preservar e disponibilizar através do microfilme as coleções de periódicos editados no Brasil, tornando as edições históricas disponíveis para consulta e reprodução aos pesquisadores.
A microfilmagem sistêmica que é feita pelo Plano, promove o resgate dos acervos (empréstimos) em outras instituições e coleções particulares. Complementando as coleções em suas faltas e falhas, como também propicia a localização dos melhores exemplares disponíveis capazes de permitir a melhor e mais perfeita recuperação do texto original.
Hoje o Plano atua em vários estados brasileiros e está com mais de 9 mil títulos microfilmados num total de 50 mil rolos matrizes acondicionados e preservados na Sala Cofre da Biblioteca Nacional com temperatura e umidade controlada.
O presente convênio tem por objetivo a preservação da documentação através do preparo, microfilmagem, processamento e a duplicação da coleção de periódicos de Três Rios dentro das finalidades do Plano Nacional de Periódicos Brasileiros.
Os números enviados dos jornais O Cartaz e Correio Trirriense já foram microfilmados e aos poucos entram para a Hemeroteca. Esse acordo foi feito pela Prefeitura de Três Rios com a Biblioteca Nacional.
Vera Alves é colunista do Entre-Rios Jornal, servidora pública, concursada, historiadora, lotada na Secretaria de Cultura e Turismo e entre as suas funções estão a de guardar e preservar o patrimônio histórico documental e móvel pertencente ao poder público municipal: gerenciar as atividades de organização, manutenção, segurança e conservação do acervo histórico do Município. Seu objetivo é coletar, estudar e pesquisar acervo documental e móvel, visando a valorização da memória histórica municipal.
O processo da ideia de imortalizar o jornal com microfilmagem começou com Vera Alves e o antigo prefeito Vinícius Farah. Foi feito o contato com a Biblioteca Nacional e no termo explica-se sobre o projeto que surgiu em 1982 que propiciou o registro de todos os periódicos de todo o Brasil. Através de um acordo de cooperação técnica, que é publicado no Diário Oficial, esteve uma união entre a Prefeitura Municipal de Três Rios e a Biblioteca Nacional.
Em 2014 foi quando começou a ser esboçada essa ideia, dentre os trabalhos envolviam a procura dos primeiros exemplares para a digitalização. Em 2015 foram enviados os primeiros números e em 2016 foi feito as compras de rolos de filmes, envio dos jornais físicos, higienização dos mesmos, microfilmagem e, por fim, a entrega de uma cópia digital e outra cópia do projeto fica no cofre, depois disso os jornais voltaram para as cidades.
Com isso, Vera Alves começou a fazer o pedido para que os arquivos digitados fossem para a Hemeroteca Digital Brasileira. Em 2019 o pedido foi atendido. Vale ressaltar que existem diversos jornais ao longo do país que também solicitam que os jornais sejam digitalizados e arquivados na Hemeroteca, com o banco de dados cheio, Vera Alves aguardou até que nos últimos dias, próximo do jornal completar seus 85 anos, o processo de arquivamento digital teve início.
Estão sendo feitos então a digitalização do O Cartaz e o Entre-Rios Jornal. Graças a esse acervo da Hemeroteca foram imortalizados esses jornais que contam não só a história do município de Três Rios, mas como de toda região sul-fluminense.
A notícia do acervo digital deixou alguns dos antigos colaboradores do jornal muito satisfeitos com o resultado. Uma das mais presentes, a escritora e historiadora Ezilma Teixeira, ressaltou a importância desse material para acesso em todo o mundo. Durante muitos anos Ezilma Teixeira, bem como outros importantes colaboradores, escreveram em nossas páginas artigos de grande importância e relevância para leitores e, posteriormente, o que ficou registrado nas páginas do Entre-Rios Jornal, serviu como fonte de pesquisa para estudantes, professores e pesquisadores.
O trabalho de Vera Lúcia, Coordenadora de Microfilmagem e toda sua equipe, na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, devem ser identificadas como forma de resguardar a memória local. O futuro depende da história, dos detalhes e dos fatos verídicos.
Em tempos de Fakenews a imortalidade da veracidade narrada em 85 anos de um jornal impresso, o Entre-Rios Jornal levará muita ajuda com a integridade estabelecida na era digital. Uma cultura de fato sendo mantida.
Toda nossa equipe do Entre-Rios Jornal agradece imensamente a Vera Alves, Vera Lúcia e também todos os envolvidos na dedicação e o compromisso com a nossa história.
Para acessar os antigos periódicos basta acessar o link abaixo:
http://memória.bn.br

Nomes importantes na história do Entre-Rios Jornal, como Waldemar Gomes Fahndrich, Alberto Gomes Fahndrich (Betinho), João Pedro da Silveira, Antônio Vilela de Carvalho Junior (Vê Jota), Luiz Mário Cordeiro Muniz e Jorge Thomé, que resgatou o Entre-Rios Jornal em meados da década de 1980, ficam eternizados em registros históricos das edições digitalizadas

José Rubem Pontes de Souza (Rubinho ), assim como seu irmão e atual diretor-presidente do Entre-Rios Jornal, decidiram dar prosseguimento a um veículo de comunicação de grande importância, não só para Três Rios, assim como para toda a região. Com isso perpetuaram a grande participação de seus antecessores no fortalecimento da imprensa no Centro-Sul fluminense

Para Fernando Ferreira de Oliveira, atual editor-chefe do Entre-Rios Jornal, que completa 30 anos de jornal no dia 19 de março desse ano, esses 85 anos representam um legado que nos remete ao primeiro número de 1935 e sua mensagem de manter viva uma imprensa responsável e com compromisso com a verdade dos fatos em respeito aos leitores, assinantes e anunciantes

Por Zeca Lima

Crédito da Foto: Arquivo ERJ

Publicidade
728x90
B03 - 300x250