Estímulo ao Brasil empreendedor

País - (Política) - Sábado, 05 de Outubro de 2019.

Estímulo ao Brasil empreendedor Vinicius Farah, deputado federal (MDB-RJ) e ex-prefeito de Três Rios


Hoje, dia em que se comemora o Dia Nacional da Pequena Empresa, nunca é demais lembrar quem está mantendo e gerando os empregos no Brasil são elas – as pequenas empresas, as que possuem entre 20 e 100 colaboradores. A última pesquisa feita pelo Sebrae com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, mostrou que, de cada 10 vagas de trabalho formais geradas em agosto de 2019, oito (80%) foram nas pequenas empresas. Elas foram responsáveis por 95.587 novos postos com carteira assinada, enquanto as médias e grandes empresas responderam por um quarto disso.
Não estão computados aí, claro, os milhares de trabalhadores informais que vemos crescer cada dia mais em meio à crise que se abateu no Brasil desde 2014. São incontáveis as pessoas que, desempregadas, se viram para sustentar suas famílias. Essa atitude, longe de ser condenável, dá a dimensão exata da capacidade de trabalho do brasileiro. Com menos burocracia, mais crédito e a devida orientação, esse exército de informais tem tudo para se transformar em potenciais empresários formais, geradores de empregos, ajudando o Brasil a voltar a crescer.
É fato que o Governo tem feito esforços para melhorar o ambiente de negócios – e com o respaldo do Congresso, como se viu na votação da MP da Liberdade Econômica, concluída em setembro pelo Senado. Mas precisamos ir além: garantir crédito a juros razoáveis, inclusive dos bancos públicos; facilitar o processo de abertura e fechamento de empresas; reduzir o arcabouço tributário e regulatório e fortalecer – em vez de enfraquecer – as entidades do sistema S no trabalho de qualificação da mão de obra e orientação dos empreendedores. São essas as medidas que farão o Brasil voltar a gerar empregos no ritmo que os brasileiros precisam.
O município fluminense de Três Rios, que governei durante oito anos (2009-2016), é a prova de como a implementação de politicas públicas corretas – que estimulem, em vez de atrapalhar o empreendedor – é capaz de fazer girar a roda da economia. Com desburocratização e estímulo à abertura de novos negócios, Três Rios gerou 13.100 empregos naquele período, fruto da chegada e da abertura de 2.458 novas empresas na cidade, entre pequenas, médias e grandes – e a formalização de 4.500 microempreendedores individuais..
A Casa do Empreendedor, por exemplo, foi criada em 2013 reunia num único espaço todos os serviços municipais necessários para se abrir uma empresa, o que levou à redução para 48 horas do tempo média de abertura de um negócio. Taxas como emolumentos e alvarás foram extintos. Paralelamente, uma forte parceria com o Sesi, Senai e Sebrae ajudou a orientar os novos empreendedores e qualificar mão de obra para que sonhos virassem realidade e revertessem em empregos ocupados, prioritariamente, pela população local. A arrecadação do ISS da cidade, com isso, cresceu 500%.
Hoje, segundo o Sebrae, 99% das empresas do país são formadas por pequenos negócios. Esse é segmento que mais cresce, o que mais emprega e é o futuro do Brasil. Empreender está na alma do brasileiro. Cabe a nós compreender o tamanho do nosso próprio potencial e dar asas a ele.

Por Assessoria de Imprensa

Crédito da Foto: Divulgação Ass. Imprensa

Publicidade
1200x628jpg
3 Tenis 189