Faetec tem plano para investimento em robótica para 2020 e mais

Leonardo Rodrigues: "Vamos reformar unidades da Faetec e modernizar laboratórios"

Estado do Rio - (Educação) - Quarta, 11 de Dezembro de 2019 às 12:00 horas.

 
O entrevistado da série sobre o balanço do ano e as metas para 2020 nas secretarias estaduais é o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Rodrigues contou sobre o plano da Faetec para investimento em robótica para 2020. Em entrevista ele conta sobre, confira:
1.Qual foi o cenário encontrado quando assumiu a secretaria?
Leonardo Rodrigues: Encontramos a pasta em um estado lastimável. As instituições estavam largadas, com incontáveis problemas administrativos e estruturais. Mapeamos as deficiências de todo o estado e fizemos uma estratégia para saná-las. Assumimos o compromisso de fazer a diferença e é isso que temos buscado junto ao governador Wilson Witzel.
2. Quais foram as principais ações nesse primeiro ano de gestão?
Leonardo Rodrigues: Este ano foi primordial para arrumar a bagunça da casa e colocar nossas vinculadas em ordem. Durante esse processo ressalto que, além de investir em projetos e pesquisas, a partir da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), e capacitar jovens e adultos por meio do ensino a distância, pelo Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cecierj), já iniciamos a reformulação da grade curricular das Faetecs, para atender as necessidades e vocações de cada uma das regiões fluminenses. Além disso, acreditamos no potencial da Startup Rio e sob nova gestão por parte da Faperj, conseguimos alcançar o patamar de melhor aceleradora ligada a um governo estadual do país. Vale citar que, durante este ano, conseguimos colocar em dia os pagamentos de bolsas científicas, inauguramos seis unidades da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) (Mesquita, Santo Antônio de Pádua, Japeri, Barra do Piraí, Palácio Guanabara e Araruama), iniciamos um projeto-piloto em parceria com a Secretaria de Educação para que alunos da rede estadual tenham ensino técnico e profissionalizante nas escolas e firmamos um acordo com a reconhecida escola de gastronomia Le Cordon Bleu para a criação de um curso superior da rede com a Faetec.
Durante esse período também assinamos o Programa de Apoio à Infraestrutura Laboratorial da Faetec, promovemos dois Hackathons, conseguimos quebrar um jejum de quase 10 anos sem concursos da Rede Faetec e lançamos um edital com 209 vagas. Fechamos um acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), que prevê a injeção de mais de R$ 5 milhões em atividades de pesquisa do estado e vamos transferir, por meio da Faperj, R$ 1,5 milhão destinados à Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para construir a estruturação de uma rede de inovação tecnológica de agronegócio no Rio de Janeiro. Por fim, criamos o programa inovAÇÃO RIO-2019. Com investimento de R$ 30 milhões, ele apoia empresas de micro, pequeno e médio porte. Além disso, inauguramos um polo Cederj, em Miracema.
3. Quais são os principais desafios da secretaria?
Leonardo Rodrigues: Recuperar a credibilidade da pasta foi um dos nossos maiores desafios, devido à situação calamitosa em que encontramos a secretaria no início da nossa gestão. Aos poucos e vendo a ciência e tecnologia como uma das prioridades da administração do governador Witzel, conseguimos já mudar consideravelmente esse cenário. Ainda estamos no regime de recuperação fiscal e isso implica em algumas limitações, mas nada que impeça que continuemos trabalhando com afinco. Nossa missão é fazer do Rio de Janeiro referência na pasta de ciência, tecnologia e inovação.
4. Quais as prioridades da secretaria para o próximo ano?
Leonardo Rodrigues: Para 2020 buscamos reformar todas as unidades da Faetec, modernizar os laboratórios e ampliar os cursos da rede voltados para a indústria 4.0, além de dobrar o número de unidades Cecierj no estado. Também queremos abrir uma universidade da Faetec e levar polos para os municípios que ainda não possuem, intensificar as operações do Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem), combatendo cada vez mais a pirataria, lançar pela Faperj editais para o fomento de micro e pequenas empresas e ressignificar os cursos da Faetec.
5. Como garantir investimentos e a execução de ações e programas com o Rio de Janeiro ainda em processo de recuperação fiscal?
Leonardo Rodrigues: Não existe mágica, diariamente lutamos para driblar as dificuldades. Trabalhamos com o que temos e nesse momento fazer parcerias com empresas, órgãos públicos e demais entes nos ajuda a conseguir investimentos. Além disso, recuperar a nossa credibilidade é primordial para que esse processo aconteça. Com muito trabalho e comprometimento já estamos conseguindo.

Por Redação

Crédito da Foto: Divulgação

Publicidade