Governo assina permissão de uso do Maracanã com Flamengo e Fluminense

Clubes assumem a gestão do complexo esportivo a partir do próximo dia 19

Estado do Rio - (Esporte) - Sábado, 13 de Abril de 2019.

Governo assina permissão de uso do Maracanã com Flamengo e Fluminense

O governador Wilson Witzel assinou, nesta sexta-feira (12), o contrato de permissão de uso do Complexo Maracanã com Flamengo e Fluminense, que farão a gestão do estádio e do ginásio do Maracanãzinho. A cerimônia, no Palácio Guanabara, reuniu o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, o do Fluminense, Pedro Abad, além dos secretários estaduais da Casa Civil e Governança, José Luiz Zamith, de Esporte, Lazer e Juventude, Felipe Bornier, e de Turismo, Otavio Leite. Válida por 180 dias e renovável por mais 180 dias, a gestão será compartilhada entre os dois clubes, que assumem o complexo a partir do dia 19 de abril.
"Hoje é um dia importante para o futebol do Estado do Rio de Janeiro. Agora, o Maracanã vai ser operado de forma mais justa. Isso é bom para todos os clubes que forem jogar no estádio. Todos tiveram a oportunidade de participar deste processo transparente e ético, como tem sido a marca do nosso governo", disse o governador.
Uma das principais mudanças favoráveis aos clubes de futebol diz respeito ao valor das partidas. O permissionário vai cobrar R$ 90 mil de aluguel para o mandante de jogo - mesmo ele sendo Flamengo ou Fluminense. O valor é 25% mais barato do que o aluguel mínimo cobrado pela gestora atual. Toda a receita da bilheteria e comercialização de alimentos e bebidas também vai para o mandante da partida. Os custos operacionais de jogo continuam sendo do mandante.
"Este é um novo momento do futebol do Rio de Janeiro. Antes, o valor era muito pesado para os clubes e, hoje, ele é 25% menor. Isso dá oportunidade para àqueles que desejam jogar no estádio e possam ter lucros com a bilheteria, alimentos e bebidas. A casa está aberta e volta a ser da população fluminense", afirmou o secretário de Esporte, Lazer e Juventude, Felipe Bornier.
Para gerir o Complexo Maracanã, o consórcio vai pagar R$ 166.666,67 por mês ao Estado. Esse valor será revertido para a manutenção da área do Estádio de Atletismo Célio de Barros e do Parque Aquático Julio De Lamare. Além disso, 10% da receita líquida decorrente do tour do Maracanã serão repassados aos cofres públicos, com obrigação de garantia de arrecadação mínima de R$ 64 mil mensal. Todas as contas de manutenção do Complexo Maracanã serão pagas pelo permissionário.
"É um momento histórico porque duas instituições centenárias e protagonistas de uma rivalidade foram capazes de, em 36 horas, desenhar um modelo de parceria sem nenhum tipo de observação de interesses próprios, apenas aquilo que faz parte do negócio. Vasco e Botafogo, que também construíram a história do Maracanã, estão convidados e nosso modelo prevê a participação deles", comentou o presidente do Fluminense.
A partir de agora, a Comissão Consultiva Estádio Jornalista Mário Filho – Maracanã, que conduziu todo o processo de permissão de uso, estará encarregada de elaborar um novo modelo de gestão a longo prazo para o Complexo Maracanã.
"Esta era a grande aspiração dos torcedores do Rio de Janeiro: a entrega do estádio do Maracanã àqueles que realmente levam público ao local e aos principais interessados nisso. Flamengo e Fluminense sabem da responsabilidade que é assumir o Maracanã. Nosso trabalho será incessante para prestar um serviço cada vez melhor para a sociedade e os torcedores do estado", disse o presidente do Flamengo.

Planos para o Maracanãzinho

Em formato de ginásio multiuso, o Maracanãzinho está nos planos dos clubes. O intuito é utilizá-lo para eventos de diversas naturezas – jogos e shows, para aumentar a receita dos permissionários.


Reabertura do Parque Aquático Julio De Lamare

Na ocasião, a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude anunciou, para este sábado (13/04), a abertura completa do Parque Aquático Julio De Lamare. As três piscinas do local voltarão a funcionar após ficarem fechadas por cinco anos. Os banheiros foram reformados, além do sistema elétrico e de iluminação. Rampas de acessibilidade e um elevador foram instalados para que o local receba atividades físicas para pessoas com deficiência. Secom RJ

Por Redação

Publicidade
4 itens por 199
160X600jpg