Inteligência Emocional

*Diogo Fagundes Pereira

País - (Saúde) - Sábado, 13 de Julho de 2019.

Inteligência Emocional

Afinal, o que é inteligência? Uma habilidade específica? Uma capacidade? Um adjetivo? Uma habilidade fluida ou cristalizada? Existem, aproximadamente, 70 definições do que é inteligência na ciência psicológica, mas atualmente ela é entendida como uma capacidade global do indivíduo para agir com finalidade de pensar racionalmente e lidar efetivamente com seu meio ambiente. Esta capacidade está significativamente relacionada a uma grande variedade de atributos sociais, econômicos, educacionais, políticos, tecnológicos e da saúde, ou seja, a inteligência está positivamente relacionada com um vasto e variável conjunto de relevantes indicadores para nossa qualidade de vida.
Durante muito tempo ela foi entendida como uma capacidade única, mas há décadas os estudos já apontam a sua multiplicidade, e é nesse contexto que comumente escutamos a expressão Inteligência Emocional (IE), conceito que se originou das contribuições de Howard Gardner, autor da Teoria das Inteligências Múltiplas (TIM). Nesse sentido, a IE é definida como “a capacidade de o indivíduo monitorar os sentimentos e as emoções dos outros e os seus, de discriminá-los e de utilizar essa informação para guiar o próprio pensamento e as ações”. Atuando basicamente com quatro habilidades: percepção, uso, entendimento e administração das emoções.
De maneira geral, a inteligência emocional ajuda os sujeitos a usarem a informação proveniente das emoções, no sentido de desenvolver e aprimorar os processos cognitivos que possam auxiliar no contexto profissional, pessoal, escolar e relacional como um todo, sendo um importante recurso para as exigências da adaptação inerente à vida humana. Desta forma, duas especialidades podem contribuir para o ajustamento e/ou desenvolvimento da IE. O psicopedagogo, com jogos lúdicos, brincadeiras, diálogos, criando oportunidades construtivas para crianças e adolescentes, e o psicólogo, com o desenvolvimento da Autorregulação Emocional. Tal conceito refere-se a um processo dinâmico ligado a esforços conscientes no controle dos comportamentos, sentimentos e emoções.
Embora seja estudada há décadas, as pesquisas sobre inteligência emocional ainda não dispõem de uma estabilidade dentro da Psicologia, promovendo muitas críticas à sua existência. As principais questões dizem respeito à definição do seu próprio constructo, se pode ser considerada uma inteligência ou se ela pode estar imbricada nos traços de personalidade.

*Professor do curso de Psicologia da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase)

Por Redação

Crédito da Foto: Reprodução

Publicidade
728x90
3 Tenis 189