ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ÚLTIMAS

Lua é a inspiração do Bambas do Ritmo para conquistar o 16º campeonato

Grandiosa, escola do bairro do Cantagalo promete fechar desfiles com chave de ouro

Três Rios - (Entretenimento) - Sexta, 21 de Fevereiro de 2020 às 07:00 horas.

  Lua é a inspiração do Bambas do Ritmo para conquistar o 16º campeonato Se a Lua é inspiradora, o Bambas promete embarcar em uma viagem cheia de fascínio e mistérios envolvendo o satélite natural do planeta Terra. O samba de enredo "Sob a Luz do Luar", composto por Claudio Mala Veia, André Ricardo, Anderson Benson, Rodrigo Minuetto, Rodolfo Minuetto, Nando do Cavaco, Tchelo Tatuapé, Marcia Teles, Fuka Bandolero e Alisson Cleffs e interpretado por Genê e Pitty Menezes já está na boca da comunidade que promete cantar forte na Avenida Condessa do Rio Novo.
A escola vermelho e branco do Cantagalo promete um visual com luxo e muita beleza, pré-requisitos para um desfile grandioso, como afirma o ex-presidente Gustavo Carvalho, figura importante no carnaval da escola.
Desde a sua vitoriosa estreia como carnavalesco em 2010, o jovem Gilber Rosa, tem proporcionado desfiles de muito brilho e beleza na vermelho e branco, com quatro vitórias em 2010, 2015, 2016 e 2017.
A escola sediada no bairro do Cantagalo terá o orixá Ogum homenageado em seu enredo que leva a assinatura de Gilber e Rafael Moreira.

História de orgulho e paixão

Fundada em 1964, a escola de samba Bambas do Ritmo tem um ritmista com um tamborim e uma baqueta na mão como símbolo central de sua bandeira.
A agremiação desfilou como bloco até 1971, quando ainda tinha as cores azul e rosa. Logo que assumiu a presidência, Elail de Lima, inspirado no América F.C. resolveu sugerir a mudança na cor da agremiação para vermelho e branco, o que foi prontamente aceito pelos bambinos. Para o batismo, veio um grupo de sambistas do Acadêmicos do Salgueiro, do Rio. O batizado foi relembrado no carnaval campeão de 1994, quando a escola homenageou a escola carioca com o enredo "Quem tem padrinho, não morre pagão. Bênção, meu Salgueiro!", enredo idealizado pelo professor Evandro Massi e desenvolvido pelo carnavalesco Fernando Ferreira.
A trajetória gloriosa do Bambas teve sambas de enredo memoráveis assinados, ora pelo compositor Pádua, ora pelo compositor Marcílio Lacerda, dois grandes poetas nas décadas de 1970 e 1980. Outro destaque neste segmento foi o compositor Fernando Barbosa, ex-presidente da escola que compôs também belos sambas de enredo, a exemplo das obras de 2007 (Pantanal), 2009 (A Chave da Criação), além do samba de exaltação.
O primeiro título chegou em 1974 com o enredo “Honra e Glória (Saravá meus batuqueiros)” e a escola chegou a ser pentacampeã com o desfiles oficiais seguidos de 1981, 1982, 1983, 1984 e 1987.
Outras passagens importantes pela escola foram as do empresário Devanir Sercio, o Guará nos carros alegóricos que marcaram época na primeira década de desfiles da escola e da saudosa Laís Helena Cancela nos figurinos de muito requinte, muitos detalhes e bom gosto.
Outra figura importante foi a ex-presidente dona Márcia, destaque de luxo sempre muito aguardada na avenida com belas fantasias, como a "Fada do Ano 2000", que foi apresentada em 1982 na avenida Beira Rio e no tradicional desfile do Hotel Glória, no Rio, onde conquistou o terceiro lugar na categoria.
Aguns carnavais marcaram a trajetória da escola, como o de 1976, que, embora fora de um vice-campeonato, tem no samba de enredo “Miscigenação”, um dos mais cantados na quadra até hoje.

Barracão grandioso

Os trabalhos no barracão estão a todo vapor e a escola promete entrar grandiosa na avenida para surpreender. A presidente Rosimar de Souza, a Gugu, filha do saudoso presidente Sylvio de Oliveira, está confiante em um desfile que, além de levar muita beleza à avenida, terá um belo samba de enredo e a bateria Puro Ritmo, comandada por Mestre Matheus Goulart, dando um show com sua rainha Jô Saldanha à frente.
"A ideia é falar sobre seres encantados. A influência da Lua com a Terra, o sincretismo religioso, onde teremos a reprodução de Ogum, São Jorge e finalizaremos com a Lua. Serão quatro carros e dois tripés. O andamento está seguindo, mas não podemos relaxar. Aparentemente está tranqüilo, mas nós temos um volume muito maior de afazeres. Temos muito trabalho. O nosso carro surpresa é o carro da floresta. O problema na busca por materiais é a demanda de última hora. Mesmo utilizando muitas coisas recicladas, principalmente da nossa escola, ainda sim a procura está muito grande. Estou utilizando muitas coisas de anos anteriores apenas reciclando e dando uma cara nova. Teremos cerca de 350 componentes. Peço à comunidade do Cantagalo que seja muito confiante, porque o Bambas via fazer um carnaval forte e digno de um grande competidor", finalizou o carnavalesco Gilber Rosa.

Por Redação

Crédito da Foto: Zeca Lima

Publicidade