Médicos de Cuba deixam as cidades da região

Profissionais atendiam em Três Rios, Paraíba do Sul, Levy Gasparian e Sapucaia

Região - (Saúde) - Sábado, 24 de Novembro de 2018.

Médicos de Cuba deixam as cidades da região

Há 10 dias o governo cubano anunciou a saída do programa Mais Médicos pelo fato de discordar com algumas condições do governo eleito, entre elas a realização de um exame para reconhecimento dos diplomas no país (Revalida) e chamou de volta os mais 8 mil profissionais que atuavam no Brasil.
Nas cidades da região, 18 médicos trabalhavam atendendo em postos de saúde de Três Rios, Paraíba do Sul, Comendador Levy Gasparian e Sapucaia.
Com a saída dos médicos a preocupação da população é quanto ao atendimento, se os mesmos serão substituídos ou se algumas áreas irão ficar descobertas. Em Três Rios, os nove cubanos que realizavam atendimentos, já foram desligados do Mais Médicos. A Secretaria de Saúde informou que está sendo feito um rodízio nas unidades de saúde.
“A Secretaria de Saúde de Três Rios elaborou estratégia para garantir o atendimento médico a pacientes das unidades onde atuavam os cubanos. Até o dia 3 de dezembro haverá o rodízio de médicos nas unidades dos bairros, com atendimento uma vez por semana, além do atendimento diário no Posto Central. Os pacientes com os exames pré-natal agendados devem retirar o encaminhamento nas unidades para o atendimento às quartas-feiras no Setor de Saúde da Mulher, no Posto Central. Além disso, as receitas médicas de uso contínuo que venceriam neste período terão a validade prorrogada por 15 dias.A Prefeitura agradece ao excelente trabalho prestado pelos médicos cubanos no município durante cinco anos e deseja sucesso aos profissionais em sua trajetória”, diz a nota enviada pela assessoria da prefeitura.
O governo de Três Rios também citou que o município conta com a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas para atendimentos clínicos emergenciais, de acordo com o protocolo de encaminhamento já utilizado pelas unidades.
Já em Paraíba do Sul, seis cubanas atendiam a população e a Secretaria de Saúde estima um prejuízo na cobertura assistencial médica de pelo menos doze mil pessoas, ou seja, mais de 1/4 da população sul-paraibana será prejudicada.
“A Secretaria de Saúde lamenta a saída das médicas, profissionais que trazem a forte experiência da medicina e da atenção primária cubana. O município perde profissionais sensíveis e atenciosas no cuidado junto à população. Para amenizar o problema a secretaria de saúde está buscando mobilizar os demais médicos na cobertura das demandas das áreas afetadas (os bairros Bela Vista, Amapá, Werneck, Curupaiti, Palhas, Limoeiro). Mas, neste momento, acredita que a solução para o problema depende do êxito da nova chamada de médicos do programa na realocação de novos médicos nestas áreas”, informou a nota da assessoria da prefeitura.
O município de Comendador Levy Gasparian contava com duas médicas que vieram de Cuba. A Secretaria de Saúde não se pronunciou sobre a situação e nem informou qual medida será tomada para que a população não fique sem atendimento.
Em Sapucaia havia uma médica cubana no PSF de Jamapará e a Secretaria Municipal de Saúde informou que neste momento a população não está sofrendo impacto e que a vaga será preenchida através do edital que foi aberto Ministério da Saúde com previsão do início das atividades para 3 de dezembro.
Areal, Paty do Alferes e Miguel Pereira, informaram que já tiveram médicos cubanos, mas que atualmente não tem mais e por isso a saída dos mesmos não acarreta problemas para tais municípios.
Com o encerramento do acordo, o Ministério da Saúde lançou edital no dia 19 de novembro para adesão de novos médicos ao Programa e as inscrições podem ser feitasaté às 23h59 do domingo (25). Ontem (23) o Ministério da Saúde informou que 84% das vagas do novo edital do programa foram preenchidas. Com informações da Agência Brasil

Por Aline Carius

Publicidade
200 produtos com 50OFF -  468x60
AMARO 300x250_2